ACRÉSCIMOS DO NOVO TESTAMENTO

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento
por: Eliezer Lucena de Castro

Índice: 1) A mulher flagrada em adultério. João 7:53 até 8:11.

2) Os últimos 12 versículos do evangelho de Marcos

3) Principais disputas cristológicas dos séculos II e III

4) Mudanças para justificar a doutrina que Cristo é Deus

5) Mudanças para justificar doutrina que Cristo é homem:

6) Mudanças anti-separacionistas

7) Mudanças para justificar a teologia da trindade:

8) Parêntese Joanino acréscimo da vulgata latina de são Jerônimo

9) As mulheres e os textos do novo testamento

10) Alterações nos textos do NT envolvendo mulheres

11) A ressurreição de Jesus segundo o novo testamento:

12) A hora da crucificação

13) A conversão de Paulo

14) Os dois ladrões na cruz

15) Anomia = contra a lei de Moisés

16) A palavra grega (anomian) anomia no novo testamento

17) Brit Chadashah tradução da peshita em aramaico

18) A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém

19) Descendência de Jesus

20) Jesus aboliu a torah (a lei)?

21) Jesus e o uso das Parábolas

22) Alterações para colocar Jesus igual a Deus – I

23) Alterações para colocar Jesus igual a Deus – II

24) A respeito de cobrir a cabeça

25) Conclusão

26) Alterações feitas a pedidos dos Papas

1) A mulher flagrada em adultério. João 7:53 até 8:11.

João 8:1-11: 1 Jesus , entretanto, foi para o monte das oliveiras. 2 de madrugada, voltou novamente para o templo, e todo o povo ia ter com ele; e, assentado, os ensinava. 3 os escribas e fariseus trouxeram à sua presença uma mulher surpreendida em adultério e, fazendo-a ficar de pé no meio de todos, 4 disseram a Jesus : mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério. 5 e na lei nos mandou Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas; tu, pois, que dizes? 6 isto diziam eles tentando-o, para terem de que o acusar. Mas Jesus , inclinando-se, escrevia na terra com o dedo. 7 como insistissem na pergunta, Jesus se levantou e lhes disse: aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra. 8 e, tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão. 9 mas, ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram-se retirando um por um, a começar pelos mais velhos até aos últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde estava. 10 erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou 11 respondeu ela: ninguém, senhor! Então, lhe disse Jesus : nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.

Todo texto acima não faz parte nos melhores manuscritos.

A história de Jesus com a mulher flagrada em adultério é provavelmente a mais célebre história sobre Jesus na bíblia; desde sempre, ela foi também certamente destaque nas versões hollywoodianas da vida de Jesus . Também teve destaque em a paixão de cristo, de Mel Gibson, embora o filme se concentre apenas nas últimas horas de Jesus (a história é tratada em um dos raros flashbacks do filme). Apesar de toda essa sua popularidade, o relato se baseia em apenas uma passagem do novo testamento, em João 7:53 – 8:12, e nem mesmo ali parece fazer parte do contexto original.

O quadro da história é familiar. Jesus está ensinando no templo, e um grupo de escribas e fariseus, seus inimigos jurados, se aproxima dele trazendo consigo uma mulher “que fora pega em flagrante no ato de adultério”. Eles a trazem à presença de Jesus porque querem pô-lo à prova. A lei de Moisés é o que dizem a Jesus , prescreve que uma mulher dessas seja apedrejada até a morte; mas eles querem saber o que ele tem a dizer sobre o caso. Devem apedrejá-la ou mostrar misericórdia para com ela? Naturalmente, trata-se de uma armadilha. Se Jesus lhes disser para libertar a mulher, será acusado de violar a lei de Deus; se lhes disser para apedrejá-la, será acusado de negligência para com seus próprios ensinamentos de amor, misericórdia e perdão. Jesus não responde de imediato. Em vez disso, abaixa-se para escrever na areia. Quando eles dão seguimento a seu questionamento, ele lhes diz: “aquele que não tem pecado seja o primeiro a atirar uma pedra”. E volta a escrever na areia, enquanto aqueles que tinham trazido a mulher começam a sair de cena. Evidentemente convictos de seu próprio malfeito, até que ninguém restou, além da mulher. Levantando os olhos, Jesus diz: “mulher, onde estão todos? Ninguém te condenou? “ e ela replica: ‘ninguém, senhor”. Ele então responde: “nem eu te condeno. Vai e não peques mais”.

É uma história brilhante, plena de sentimento e com uma guinada engenhosa na qual Jesus usa toda sua viva inteligência para se livrar da armadilha dos escribas e fariseus. Para não falar da pobre mulher. Claro que para um leitor atento a história suscita várias perguntas. Se essa mulher foi pega em flagrante de adultério, por exemplo, onde está o homem com quem ela foi pega em ato de adultério? De acordo com a lei de Moisés ambos devem ser apedrejados, conforme textos abaixo:

Levítico 20:10 – se um homem adulterar com a mulher do seu próximo, será morto o adúltero e a adúltera.

Deuteronômio 22:22 – se um homem for achado deitado com uma mulher que tem marido, então, ambos morrerão o homem que se deitou com a mulher e a mulher; assim, eliminarás o mal de Israel.

Além de tudo, o que exatamente Jesus escreveu na areia? (segundo uma tradição antiga, ele estava escrevendo os pecados dos acusadores, que, ao verem que suas próprias transgressões eram conhecidas, ficaram completamente embaraçados!). E mesmo que Jesus tenha ensinado uma mensagem de amor, pensava realmente que a lei de Deus dada por Moisés deixara de vigorar e que não precisava mais ser obedecida? Achava que os pecados não deviam ser mais punidos?

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 4
Apesar do brilhantismo da história, de sua cativante qualidade e de seu enredo próprio, ela suscita um outro problema enorme. Ao que tudo indica, ela não é parte original do evangelho de João. De fato, não é parte original de nenhum dos quatro evangelhos. Foi acrescentada por copistas posteriores. Como sabemos disso? Na realidade, pesquisadores que estudam a tradição manuscrita não têm dúvidas sobre esse caso particular. De momento posso simplesmente indicar poucos fatos básicos que se demonstraram convincentes para quase todos os pesquisadores de variadas tendências: a história não se encontra em nossos mais antigos e melhores manuscritos do evangelho de João; seu estilo de escrita é muito diferente daquele que é encontrado no restante do evangelho de João (incluindo os Relatos que vêm imediatamente antes e depois); e ela inclui um grande numero de termos e frases que são, por outro lado, estranhas ao evangelho. A conclusão é inevitável: essa passagem originalmente não faz parte do evangelho. Como então ela foi acrescentada? Há numerosas teorias acerca disso. Muitos pesquisadores pensam que provavelmente se tratava de um relato bem conhecido que circulava na tradição oral sobre Jesus , que a certa altura foi acrescentado à margem de algum manuscrito. A partir daí, algum copista ou alguém achou que a nota marginal devia ser parte do texto e a inseriu imediatamente depois da narrativa que acaba em João 7:52. Deve-se notar que outros copistas inseriram o relato em diferentes pontos do evangelho, alguns deles depois de João 21:25, e outros, o que é bem interessante, depois de Lucas 21,38.

Isso naturalmente deixa os leitores em um dilema: se essa história não fazia parte originalmente do evangelho de João, pode ser considerada parte da bíblia sagrada e inspirada por Deus? Para a maioria dos críticos e pesquisadores textuais a resposta é: “não!”

2) Os últimos 12 versículos do evangelho de Marcos Marcos 16: 9 havendo ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demônios. 10 e, partindo ela, foi anunciá-lo àqueles que, tendo sido companheiros de Jesus , se achavam tristes e choravam. 11 estes, ouvindo que ele vivia e que fora visto por ela, não acreditaram. 12 depois disto, manifestou-se em outra forma a dois deles que estavam de caminho para o campo. 13 e, indo, eles o anunciaram aos demais, mas também a estes dois eles não deram crédito. 14 finalmente, apareceu Jesus aos onze, quando estavam à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, porque não deram crédito aos que o tinham visto já ressuscitado. 15 e disse-lhes: ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. 16 quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. 17 estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; 18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados. 19 de fato, o senhor Jesus , depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus 20 e eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam.

O segundo exemplo que examinaremos pode não ser tão familiar para o leitor episódico da bíblia, mas teve grande influência na história de interpretação bíblica e suscita problemas semelhantes para o especialista em tradição textual do novo testamento. Nosso exemplo provém do evangelho de Marcos e se refere a seu término.

No relato de Marcos , é nos dito que Jesus é crucificado e depois sepultado por José de arimatéia na véspera do sábado (15:42-47). No dia posterior ao sábado, Maria Madalena e duas mulheres voltaram ao túmulo para ungir o corpo (16:1-2). Ao chegar, descobrem que a pedra foi removida da boca do túmulo. Ao entrar no túmulo, vêem um jovem vestido com uma túnica branca, que lhes diz: “não se assustem! Vocês estão buscando a Jesus nazareno, que foi crucificado. Ele foi ressuscitado e não está aqui. Vêem o lugar onde o depuseram?”. Então ele instruiu as mulheres a dizerem aos discípulos que Jesus os precede na Galiléia e que eles o verão lá, “como lhes tinha dito”. Mas as mulheres fogem do túmulo e nada dizem a ninguém, “pois estavam amedrontadas” (16:4-8).

Depois disso, vêm os últimos doze versículos de Marcos em muitas traduções modernas, versículos que dão seqüência à história. Diz-se que o próprio Jesus aparece a Maria Madalena, que vai e conta aos discípulos, mas eles não acreditam nela (16:9-11). Ele, então, aparece a dois outros (16:12-14) e, por fim, aos demais discípulos que estavam reunidos à mesa. Jesus os repreende por não terem acreditado em Maria Madalena e lhes ordena irem pelo mundo e proclamar seu evangelho “a toda criação”. Aqueles que
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 5
acreditarem e forem batizados “serão salvos”, mas aqueles que não acreditarem e não forem batizados “serão condenados”. É quando vêm, então, os dois mais intrigantes versículos dessa passagem:

Marcos 16: 17 estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; 18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.

Depois disso, Jesus é elevado aos céus e sentado à direita de Deus. E os discípulos vão pelo mundo proclamando o evangelho, com suas palavras sendo confirmadas pelos sinais que as acompanhavam (Marcos 16:19-20). É uma passagem magnífica, misteriosa, tocante e poderosa. É uma das passagens mais usadas pelos cristãos pentecostais para mostrar que os seguidores de Jesus serão capazes de falar em “línguas desconhecidas”, como ocorre em seus cultos de adoração; e é a principal passagem usada pelos grupos de “manipuladores apalaches de cobras”, que até hoje pegam cobras venenosas com as próprias mãos para provar sua fé nas palavras de Jesus, para demonstrar que fazendo isso não serão atingidos por nenhum mal. Mas há um problema. Mais uma vez, a passagem não é parte original do evangelho de Marcos. Foi acrescentada por um copista tardio. De certo modo, esse problema textual é mais disputado que a passagem da mulher flagrada em adultério, porque sem esses versículos finais o evangelho de Marcos tem um fim muito diferente e difícil de entender. O que não significa que os pesquisadores se inclinem a aceitar esses versículos, como logo veremos. Os motivos para considerá-los como acréscimos são sólidos, quase indiscutíveis. Mas os pesquisadores debatem qual era realmente o final genuíno de Marcos , diante do fato de que o fim que se encontra em muitas traduções vernáculas (embora marcados como inautenticas) e nos manuscritos gregos tardios não é o original.

A prova de que esses versículos não estavam no original de Marcos é semelhante em gênero à prova para a passagem da mulher flagrada em adultério. Os versículos estão ausentes de dois de nossos mais antigos e melhores manuscritos do evangelho de Marcos, além de ausente de outros importantes testemunhos; o estilo de escrita é diferente do estilo que encontramos em todo o restante de Marcos; a transição entre essa passagem e a anterior é de difícil entendimento (por exemplo, Maria Madalena é apresentada no versículo 9 como se ainda não tivesse sido mencionada, mesmo tendo ela sido discutida nos versículos anteriores; há mais um problema com o grego que faz a transição ainda mais complicada); e há um grande número de palavras e frases na passagem que não são encontradas em nenhum outro lugar em Marcos . Em suma, as evidências são suficientes para convencer quase todos os pesquisadores textuais de que esses versículos são um acréscimo ao evangelho de Marcos.

Sem eles, porém, o relato acaba muito abruptamente. Atenção ao que acontece quando esses versículos são excluídos: diz-se às mulheres para informar os discípulos que Jesus os precederá na Galiléia e lá os encontrará; mas elas, as mulheres, desertam do túmulo e nada dizem a ninguém, “pois estavam amedrontadas”. É aqui onde o evangelho acaba. Obviamente, os copistas pensavam que o fim era abrupto demais. As mulheres não dizerem nada a ninguém? Então, os discípulos nunca souberam da ressurreição? E nem mesmo Jesus apareceu a eles? Como poderia ser esse o fim? Para resolver o problema, os copistas acrescentaram um fim. Na verdade, havia diferentes finais acrescentados por diferentes copistas, não apenas os doze versículos finais do 9 ao 20 familiares aos leitores da bíblia atual, vários copistas fizeram um outro final diferente, conforme texto a seguir que faz parte de alguns manuscritos com um final curto, que prova a disputa em colocar um final melhor no evangelho de Marcos e assim acomodar possíveis problemas da época:
Final curto de Marcos 16: “mas, todas as coisas que se lhes mandaram, relataram brevemente aos em volta de Pedro . Outrossim, depois destas coisas, o próprio Jesus enviou por meio deles, do leste ao oeste, a santa e incorruptível proclamação da salvação eterna”.
Alguns pesquisadores concordam com os copistas e consideram que Marcos 16:8 é muito abrupto para ser um final de evangelho. Como já mencionei, não é que esses pesquisadores acreditem ou aceitem que os doze últimos versículos de nossos manuscritos tardios fossem o final original, eles sabem que não é o caso, mas acham que, provavelmente, a última página do evangelho de Marcos , uma em que Jesus realmente encontrava os discípulos na Galiléia, de algum modo se perdeu e que todas as nossas cópias do
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 6
evangelho remontam a esse manuscrito truncado, sem a última página. Essa explicação é plenamente possível. Assim como é possível, na opinião de outros pesquisadores, que Marcos tenha decidido concluir seu evangelho em 16:8, que é certamente um fim chocante.

3) Principais disputas cristológicas dos séculos II e III

Disputas estas que acabaram motivando mudanças nos textos dos manuscritos do novo testamento

  1. Adocionistas. (ebionitas de ebyon “pobre”). Cristo era unicamente homem. Ebionitas ou adocionistas era um grupo de cristãos primitivos dos séculos II e III, eram judeus, de onde vem o termo hebraico ebyon, ou seja, “pobre”. Esses seguidores de Jesus imitavam o grupo original dos discípulos de Jesus , abrindo mão de tudo por causa de sua fé, assumindo assim a pobreza voluntária pelo bem dos demais. Adocionistas vem do termo adotado, porque seus adeptos afirmavam que Jesus não era divino, mas um ser humano de carne e osso a quem Deus “adotara” como seu filho, provavelmente por ocasião do batismo.
  2. Docetas. (que vem do termo grego “dokeo” que significa = parecer, dar a impressão de). Os docetas defendiam que Jesus não era um ser humano de carne e osso. Ao contrário, era completamente divino. Apenas “parecia” ou “dava a impressão” de ser um ser humano, de sentir fome, sede, e dor, de sangrar e de morrer. Visto que Jesus era Deus, ele realmente não podia ser um homem. Simplesmente veio a terra sob a “aparência” da carne humana. Conclusão: cristo era completamente divino.
  3. Separacionistas. Uma terceira cristologia que era defendida por uma outra comunidade cristã primitiva, era a que entendia cristo não apenas como humano (como os adocionistas), nem apenas como divino (como os docetas), mas como dois seres, um completamente humano e outro completamente divino. Devemos chamar essa cristologia de “separacionistas” porque ela dividia Jesus Cristo em dois: o homem Jesus (que era completamente humano) e o cristo divino (que era completamente divino). Segundo a cristologia separacionista, o homem Jesus fora temporariamente habitado pelo ser divino, cristo, que o capacitou a realizar seus milagres e a pregar os seus ensinamentos; mas antes da morte de Jesus, o cristo o abandonou, forçando-o a encarar sozinho a sua própria crucificação. Essa cristologia era defendida principalmente pelos grupos de cristãos que os pesquisadores chamam de gnósticos. O termo gnosticismo, que vem do étimo grego para conhecimento, gnosis, é aplicado a um amplo espectro de grupos de cristãos primitivos que enfatizavam a importância do conhecimento secreto para a salvação. Segundo a maioria desses grupos, o mundo material em que vivemos não foi criação do Deus único e verdadeiro. Ele surgiu como resultado de um desastre no reino divino, no qual uma das (muitas) entidades divinas foi, por algum motivo, excluída das regiões celestes. Como resultado de sua queda da divindade, o mundo material veio a ser criado por uma deidade menor, que a capturou e aprisionou em corpos humanos aqui na terra. Alguns seres humanos, portanto, têm uma centelha do divino dentro de si e precisam aprender a verdade de quem são de onde vieram, como chegaram aqui e como podem retornar. Aprender essa verdade os conduzirá à salvação. Tal verdade consiste em ensinamentos secretos, misteriosos, “conhecimento” (gnosis), que só pode ser comunicado por um ser divino provindo do domínio celestial. Para os cristãos gnósticos, cristo é o ser divino revelador das verdades de salvação. Em muitos sistemas gnósticos, o cristo sobreveio ao homem Jesus por ocasião de seu batismo, dando-lhe poder para exercer o seu ministério e, no fim, o deixou para que morresse sozinho na cruz. Foi por isso que Jesus bradou: “Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?” Para esses gnósticos, o cristo abandonou Jesus literalmente (ou o deixou para trás). Contudo, depois da morte de Jesus, o cristo o ressuscitou dos mortos como recompensa por sua fidelidade e continuou, por meio dele, a ensinar a seus discípulos as verdades secretas que conduzem à salvação. Conclusão: Jesus era completamente humano e completamente divino ao mesmo tempo.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 7
4) mudanças para justificar a doutrina que Cristo é Deus Mudanças anti-adocionistas ou anti-ebionitas: Evangelho de João 1.1-18 – filho único ou Deus único que está junto do pai? Nos melhores manuscritos diz: … “filho único que está no seio do pai.”

Atos 20:28 – igreja de Deus ou igreja do senhor que ele resgatou com seu próprio sangue? Nos melhores manuscritos diz: … “igreja do senhor, que ele comprou com o seu próprio sangue. “ Tal mudança coloca Jesus como Deus, pois fala de Deus que com seu sangue… E desde quando que Deus tem sangue? Entendeu?

I timoteo 3:16 “Deus manifestado na carne”, ou, “aquele que foi manifestado na carne” ? Nos melhores manuscritos diz: … “aquele ou que foi manifestado na carne. “

Hebreus 2:9 – sem Deus provasse a morte por todos ou pela graça de Deus provasse a morte por todos. Nos melhores manuscritos o texto diz: … “assim sendo, sem Deus ele deve provar a morte por todos.”

Aqui para refutar o ensino que Jesus foi abandonado na cruz por Deus, os copistas trocaram sem Deus por pela graça de Deus.

Lucas 3.22: ”tu és meu filho, hoje eu te gerei”, ou, “tu és meu filho amado, em quem me comprazo”. Nos melhores manuscritos o texto diz: … “tu és meu filho, hoje eu te gerei”.

Tal mudança ocorreu para refutar os defensores adocionistas, ou seja, os ebionitas, que defendiam que Jesus foi adotado na ocasião do batismo. E a maioria das traduções modernas mantém a forma errada ainda hoje. Nos melhores manuscritos não constam os textos acima, que foram acrescentados ou adulterados por copistas tardios anti-ebionitas ou anti-adocionistas, para justificar que cristo era Deus, porque os adocionistas defendiam que cristo era unicamente homem.

5) mudanças para justificar doutrina que Cristo é homem: Mudanças antidocetas Lucas 22:43. 44 – 43 então, lhe apareceu um anjo do céu que o confortava. – 44 e, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra.

Estes dois versículos foram acrescentados para refutar a doutrina de que Jesus era completamente divino, defendida pelos docetas, que diziam que Jesus somente aparentava, ou seja, dava a impressão de que era humano, mas não era. Então sentiram a necessidade de mudar o texto para refutar que ele era completamente divino, então se ele fosse completamente divino como ele sangraria e sentiria agonia? Outra vez, disputas teológicas! Será que um dia elas terão fim?

Lucas 22: 17-20 – 17 e, tomando o cálice e havendo dado graças, disse: tomai-o e reparti-o entre vós, 18 porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o reino de Deus. 19 e, tomando o pão e havendo dado graças, partiu-o e deu-lho, dizendo: isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isso em memória de mim. 20 semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: este cálice é o novo testamento {ou pacto} no meu sangue, que é derramado por vós.

Todo texto em negrito e vermelho não faz parte nos melhores manuscritos. Aparentemente, esses versículos foram acrescentados para enfatizar o corpo e a carne reais de Jesus, que ele verdadeiramente sacrificou pelo bem dos demais. Essa pode não ter sido a tônica do próprio Lucas, mas certamente era a ênfase dos copistas proto-ortodoxos, que alteraram o texto de Lucas para barrar cristologia docetistas, como a de Marcião, por exemplo.
Lucas 24:12 – 12 Pedro , porém, levantando-se, correu ao sepulcro e, abaixando-se, viu só os lenços ali postos; e retirou-se, admirando consigo aquele caso.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 8
O texto acima de Lucas 24:12, trata-se de um acréscimo que dá boa impressão à posição anti-doceta, que Jesus somente parecia ser humano, mas não era, e tal texto vai ao encontro da posição proto-ortodoxa segundo a qual Jesus não era meramente uma espécie de fantasma, mas tinha um corpo físico, real. E isso era reconhecido por ninguém menos que o principal apóstolo o próprio Pedro. Portanto, em vez de encarar o relato do tumulo vazio como uma “história boba” de algumas mulheres inconfiáveis, o texto agora mostra que o relato não apenas era crível, mas verdadeiro como Pedro como testemunha. E o que é mais importante, o verso ressalta a natureza física da ressurreição, porque a única coisa deixada no túmulo é uma prova física da ressurreição: os panos que envolveu o corpo de Jesus . Essa foi uma ressurreição corporal de uma pessoa real. Resumindo o texto foi acrescentado pelos copistas cristãos que combatiam a cristologia docetista que defendiam que cristo somente parecia ser humano, apenas dava a impressão de que era humano, porém era completamente divino.

Lucas 24:51 – 51 aconteceu que, enquanto os abençoava, ia-se retirando deles, sendo elevado para o céu. 52 então, eles, adorando-o, voltaram para Jerusalém, tomados de grande júbilo; 53 e estavam sempre no templo, louvando a Deus.

O texto em acima não faz parte dos melhores manuscritos, porém consta na maioria das traduções atuais. Esse é um acréscimo significativo, porque ressalta a fisicalidade da partida de Jesus por ocasião de sua ascensão (bem mais forte do que o brando “ia se retirando”). Esse acréscimo é, de certo modo, intrigante porque o mesmo autor, Lucas, no segundo livro de sua obra, o livro de Atos dos apóstolos, volta a narrar a ascensão de Jesus aos céus, mas afirma explicitamente que ela só ocorreu “40 dias” depois da ressurreição. Conforme texto abaixo:

Atos 1: 1 no primeiro livro relatei, ó Teófilo, todas as coisas que Jesus começou a fazer e a ensinar, 2 até o dia em que foi recebido acima, depois de haver dado preceitos pelo espírito santo aos apóstolos que escolhera; 3 aos quais ele também, depois de haver padecido, apresentou-se vivo, dando disto muitas provas, aparecendo-lhes por espaço de quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus. 9 tendo dito estas coisas, foi Jesus elevado à vista deles, e uma nuvem o recebeu e ocultou aos seus olhos.

Isso torna mais difícil acreditar que Lucas tenha escrito a frase em questão em Lucas 24:51- dado que, com certeza, não podia acreditar que Jesus ascendera aos céus no mesmo dia em que ressuscitou, e se ele mesmo Lucas afirma no inicio de seu segundo livro, Atos dos apóstolos que ele Jesus ascendeu ao céu 40 dias mais tarde. Também se deve notar que a palavra-chave em questão (“foi arrebatado ou foi elevado”) nunca ocorre em nenhum outro trecho, nem do evangelho de Lucas, nem do livro de Atos dos apóstolos. Por que, então, alguém teria acrescentado essas palavras? Sabemos que os cristãos protoortodoxos queriam enfatizar a natureza física, real da partida de Jesus da terra. E eles afirmavam isto contra os docetas, que defendiam que tudo ocorrera apenas na aparência. Um copista envolvido nessas controvérsias modificou o texto para destacar o ponto e assim refutar a cristologia docetista.

6) mudanças anti-separacionistas Mudanças para justificar que cristo não era nem homem e nem divino ao mesmo tempo e que nem se separaram em dado momento.

Hebreus 2:9 – sem Deus provasse a morte por todos ou pela graça de Deus provasse a morte por todos. Nos melhores manuscritos o texto diz: … “Assim sendo, sem Deus ele deve provar a morte por todos.”

Aqui para refutar o ensino que Jesus foi abandonado na cruz por Deus, os copistas trocaram sem Deus por pela graça de Deus. Para refutar tanto os adocionistas como os separacionistas. Esse caso já havia sido tratado antes. Existem outras mudanças que foram feitas para refutar o ensino da cristologia separacionista, porém que foram depois reparadas, ou seja, foram corrigidas, por exemplo: Um manuscrito de Marcos não traz a passagem que Jesus brada : “ Deus meu, Deus meu por que me abandonaste” que está em Marcos 15:34. No lugar trazia a seguinte mudança:

“meu Deus, meu Deus, por que escarneceste de mim?”

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 9
Tal mudança foi feita para refutar a cristologia separacionista de que cristo se separou de Jesus na crucificação, e esse texto era o predileto dos separacionistas para defenderem que cristo abandonou Jesus na hora da crucificação. Este erro, porém, foi há muito tempo corrigido. Como exemplo final de uma variante desse tipo, inserida para refutar e barrar a cristologia separacionista encontramos um texto mudado, que consta num manuscrito antigo dos primeiros séculos da 1ª epistola de João. A mais antiga forma do texto diz:

I João 4:“ 2 nisto reconheceis o espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; 3 e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, “

É uma passagem clara e direta: só aqueles que reconhecem que Jesus veio realmente na carne pertence a Deus; aqueles que não reconhecem isso são opostos a cristo (anticristo). Mas existe também um manuscrito que ocorre uma mudança na segunda metade da passagem. Em vez de se referirem àquele “que não confessa Jesus ”. Vários manuscritos se referem, em vez disso:

“àquele que divide Jesus ”…

O que esse divide Jesus significa? E por que, essa variação de texto se introduziu em alguns manuscritos antigos dos primeiros séculos? Com certeza para fornecer uma base bíblica contra as cristologias separacionistas, nas quais Jesus e cristo são separados um do outro como duas entidades separadas, ou como uma variante que afirmasse que Jesus “se dividiu” do cristo. A mudança textual condena qualquer um que vier a apoiar essa perspectiva separacionista, dizendo que esses não são de Deus, e de fato, são, anticristos. Mais uma vez, encontramos aqui uma mudança textual nos manuscritos gerada no contexto das disputas cristológicas dos séculos II e III.

7) Mudanças para justificar a teologia da trindade: Batismo em nome da trindade Mateus 28 : 19 – batizando-as em nome do pai, do filho e do espírito santo.

A bíblia de Jerusalém em sua nota marginal diz: “é possível que, em sua forma precisa, essa formula reflita influência do uso litúrgico posteriormente fixado na comunidade primitiva. Sabe-se que o livro de Atos dos apóstolos fala em batizar “ no nome de Jesus “ conforme Atos 1:5, 2:38, 8:12, 8:16, 10:48, 19;5, romanos 6:3, gálatas 3:27. Mais tarde deve ter-se estabelecido a associação do batizado em nome da trindade”. Os textos que falam da trindade na bíblia foram acrescentados para justificar a teologia da trindade, esses textos são acréscimos de Jerônimo na vulgata latina no século v, antes do século v nenhum manuscrito grego traz os textos.
Batismos em nome de Jesus: Atos 2:38 respondeu-lhes Pedro : arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus o cristo para remissão de vossos pecados, e recebereis o dom do espírito santo.
Atos 8:12 mas quando creram em Filipe que lhes pregava acerca do reino de Deus e do nome de Jesus o cristo , faziam-se batizar homens e mulheres.
Atos 8:16 porque sobre nenhum deles havia ainda ele descido, mas somente tinham sido batizados em nome de Senhor (senhor) Jesus .
Atos 10:48 e ordenou que fossem batizados em nome de Jesus o cristo . Então lhe rogaram que se demorasse ali alguns dias.
Atos 19:5 eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome de Senhor (senhor) Jesus .
Romanos 6:3 porventura ignorais que todos os que fomos batizados no Cristo Jesus , fomos batizados na sua morte?
Gálatas 3:27 porque tantos quantos fostes batizados no Cristo, vos revestistes do Cristo .

A bíblia de Jerusalém é uma bíblia traduzida por exegetas católicos, e, portanto, é de maior credibilidade ainda a nota de rodapé porque através desta nota de rodapé a igreja católica assume que adulterou os textos que falam da trindade. Pois a idealizadora da teologia da trindade foi a própria igreja católica através de são Jerônimo que fez a primeira tradução dos textos em grego para o latim e assim originou a
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 10
tradução usada pela igreja católica chamada vulgata latina, ou seja, foi uma tradução encomendada pela igreja e pelo império romano e deveria ter ajustes para defender suas teologias.
Bible young’s literal translation from 1898 Mateus 28:19 having gone, then, disciple all the nations, (baptizing them—to the name of the father, and of the son, and of the holy spirit, 20 teaching them to observe all, whatever I did command you,) and lo, i am with you all the days—till the full end of the age.’ O texto entre parêntese é acréscimo tardio.
Bíblia peshita texto em aramaico do século III traduzido para o português Mateus 28:19- portanto ide, fazei talmidim (discípulos) em todas as nações em meu nome.

O evangelho de Mateus do rabino Baal Shem Tov e os evangelhos aramaicos e siríaco-aramaico O evangelho hebraico de Mateus da versão de Shem Tov omite a frase, este evangelho de Mateus foi encontrado com um rabino no século 16 por isto leva o nome do rabino Baal Shem Tov, embora Dutillet, Munster e Quin-Quarbus a incluam. Disse-nos ainda que o verso em questão também não sobreviveu nos manuscritos em cpa, sigla que identifica a literatura produzida em Christian Palestinian Aramaic (aramaico cristão palestino). Contudo, a informação que nos pareceu mais importante foi a de que nos manuscritos dos evangelhos siríaco-aramaicos mais antigos (old syriac aramaic), que poderiam conter a frase tida como trinitariana, a página correspondente foi simplesmente arrancada! Esse fato constituiria mais uma forte indicação de que a fórmula trinitariana de batismo, encontrada em Mateus 28:19, seja realmente um acréscimo. Afinal, esses pergaminhos, embora datados como anteriores ao quarto século ou no máximo como do quinto século, foram localizados somente no século 19 em mosteiros católicos, tendo sido reutilizados para anotações pessoais de monges em séculos posteriores e estariam até com dados referentes à sua data, rasurados, segundo se denuncia. Por que os monges católicos arrancaram a página que provaria se este texto constava nos manuscritos antes do século III? Por quê?

Mateus 28:9 portanto ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do pai, e do filho, e do espírito santo; 20 ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém.

Outra evidência é a critica da fonte, analisando o contesto histórico podemos indagar: Jesus aparece para os discípulos ressuscitado e durante 40 dias lhes dá orientações e por último lhes dá um mandamento de anunciar o evangelho a todas as nações e batiza-las em nome do pai, do filho e do espírito santo. Porém não foi isto que os discípulos fizeram, Pedro para anunciar o evangelho a Cornélio foi preciso ter 3 visões e isto mais ou menos depois de 10 à 14 anos que Jesus morreu, visto que Cornélio foi o primeiro gentio da igreja primitiva. Das duas uma: ou os apóstolos eram muito duros de coração e desobedientes que precisaram de 10 à 14 anos para entender um simples mandamento de Jesus , ou Jesus não disse nada disso. Eu prefiro ficar com a segunda opção que me parece mais coerente com a história da igreja primitiva. E tenho certeza absoluta que a teologia e o mistério da santíssima trindade é pura invenção da igreja católica do século IV até o século XI.

Uma prova de que os padres e pais da igreja alteraram o texto do evangelho segundo Mateus para justificar a teologia da trindade O escritor antigo Eusébio de Cesáreia, em algumas das suas citações de Mateus 28:19, citou a referida passagem da seguinte forma: “portanto, ide, discipulai todos os gentios, em meu nome”, e em outras a citou na seguinte forma: “portanto, ide, discipulai todos os gentios, batizando-os em nome do pai, e do filho, e do espírito santo”.

Podemos ver isso no livro “novum testamentum graece”, de Nestle e Aland, vigésima quinta edição, no qual, em Mateus 28:19, consta uma variante textual, com o texto “em meu nome”, em vez de “batizandoos em nome do pai, e do filho e do espírito santo”, variante esta que ali é assinalada como “eus pt”, que significa “parte dos escritos de Eusébio”.
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 11

Aprofundando o estudo sobre a matéria, verifiquei que Eusébio de Cesáreia, nos seus primeiros escritos, citou Mateus 28:19 por 17 vezes na forma que diz “em meu nome”, e somente nos seus escritos mais recentes é que ele, por 5 vezes, citou o referido versículo na forma que diz “batizando-os em nome do pai,e do filho, e do espírito santo”, e verifiquei também que ele passou a usar o texto que diz “batizando-os em nome do pai, do filho e do espírito santo”, somente depois do concílio de Nicéia, no qual foi discutida a questão relativa à trindade, e o imperador romano Constantino decidiu a favor da doutrina da trindade, e decidiu que todos os que não acreditassem na doutrina da trindade, seriam considerados hereges, e seriam punidos, o que demonstra que o texto mais antigo do evangelho segundo Mateus é aquele que era citado por Eusébio de Cesáreia antes do concílio de Nicéia, no qual consta que Jesus Cristo disse: “portanto, ide, discipulai todos os gentios em meu nome”. Isto prova que realmente os católicos alteraram o texto do evangelho segundo Mateus . No evangelho segundo Mateus em hebraico de Shem Tov, os versículos Mateus 28:19-20 constam da seguinte forma: Mt 28.19-20 ide vós, e ensinai-os a praticar todas as coisas que eu vos ordenei para sempre.

Isto mostra que o texto de Mateus 28:19-20 é provavelmente este que consta no evangelho segundo Mateus em hebraico de Shem Tov, e não o que consta no texto grego do evangelho segundo Mateus que é usado pelos católicos.

8) Parêntese Joanino acréscimo da vulgata latina de são Jerônimo
I João 5:: 7- porque são três os que testificam no céu: o pai, a palavra e o espírito santo; e estes três são um.8- e três são os que testificam na terra: o espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num.
A passagem acima chamada pelos pesquisadores textuais de o parêntese Joanino (i João 5:7-8) encontrado nos manuscritos da vulgata latina, mas não na vasta maioria dos manuscritos gregos, essa passagem que foi, por muito tempo, a predileta entre os teólogos cristãos, dado que é a única passagem na bíblia inteira que delineia explicitamente a doutrina da trindade, segundo a qual há três pessoas na divindade, com todas as três constituindo um só Deus. Na vulgata, a passagem é lida assim:
“ há três que conduzem o testemunho nos céus: o pai, o verbo e o espírito santo e esses três são um; e há três que conduzem o testemunho na terra, o espírito, a água e o sangue, e esses três são um.”
Trata-se de uma passagem misteriosa, mas inequívoca em seu apoio aos ensinamentos tradicionais da igreja de Roma sobre o “Deus trino que é um”. Sem esse versículo, a doutrina da trindade deve ser deduzida pelo raciocínio de uma série de passagens combinadas para mostrar que cristo é Deus, assim como o espírito e o pai, e que há, não obstante, um só Deus. Essa passagem, por seu turno, afirma a doutrina direta e sucintamente.
Mas nos nossos melhores manuscritos se lê:
“pois há três que dão testemunho: o espírito, a água e o sangue, e esses três são um”.
Para onde foram “o pai, o verbo e o espírito santo?” Eles simplesmente não figuravam no manuscrito primário de Erasmo que foi o primeiro a editar e publicar o novo testamento grego em 1515, e não consta em nenhum dos demais manuscritos dos séculos I e II que ele consultou. Por isso, naturalmente, ele os deixou de fora de sua primeira edição do texto grego. Para justificar a teologia da trindade foi feito este acréscimo também por Jerônimo na vulgata latina no século v – antes disto nenhum manuscrito traz o texto que foi alterado na vulgata latina. A vulgata latina é a primeira tradução do grego para a língua latina, ou seja, é a tradução da igreja católica no século v. Essa forma da bíblia em latim, ou seja, a tradução de Jerônimo se tornou conhecida como a bíblia vulgata, ou em outras palavras = comum, essa foi a bíblia dos povos de língua latina. Ela foi a bíblia ocidental, ela mesma foi copiada e recopiada inúmeras vezes. Foi o livro que os cristãos leram, os pesquisadores e os teólogos usaram durante séculos, até o período moderno.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 12
9) As mulheres e os textos do novo testamento Os debates sobre o papel das mulheres na igreja não desempenharam grande papel na transmissão dos textos do novo testamento, mas tiveram certa influência em passagens interessantes e importantes. Para compreender os tipos de mudanças textuais feitas, necessitamos conhecer o que estava por trás da natureza desses debates.

As mulheres na igreja primitiva Os pesquisadores modernos reconhecem que as disputas sobre o papel das mulheres na igreja primitiva ocorreram justamente porque as mulheres tinham um papel – muitas vezes, importante e de destaque. Além do mais, era essa a situação desde o principio, a começar pelo ministério do próprio Jesus . Não se pode negar que os seguidores mais próximos de Jesus – os doze apóstolos – eram todos homens, como seria de se esperar de um rabino judeu na palestina do século I. Mas nossos mais antigos evangelhos indicam que Jesus também era acompanhado por mulheres em suas viagens e que algumas dessas mulheres davam suporte financeiro a ele e a seus discípulos, agindo como patronas de seu ministério de pregação itinerante:

Marcos 15:40 e também ali estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé, 41 as quais também o seguiam e o serviam, quando estava na Galiléia; e muitas outras que tinham subido com ele a Jerusalém.

Lucas 8:1 aconteceu, depois disto, que andava Jesus de cidade em cidade e de aldeia em aldeia, pregando e anunciando o evangelho do reino de Deus, e os doze iam com ele, 2 e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios;3 e Joana, mulher de Cuza, procurador de Herodes, Suzana e muitas outras, as quais lhe prestavam assistência com os seus bens.

Registra-se que Jesus manteve diálogos públicos com mulheres e ministrou para elas em público:

Marcos 7: 24 e, levantando-se dali, foi para os termos de tiro e de sidom. E, entrando numa casa, não queria que alguém o soubesse, mas não pôde esconder-se; 25 porque uma mulher, cuja filha tinha um espírito imundo, ouvindo falar dele, foi, e lançou-se aos seus pés. 26 e esta mulher era grega, siro-fenícia de nação, e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio. 27 mas Jesus disse-lhe: deixa primeiro saciar os filhos; porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. 28 ela, porém, respondeu, e disse-lhe: sim, senhor; mas também os cachorrinhos comem, debaixo da mesa, as migalhas dos filhos. 29 então ele disse-lhe: por essa palavra, vai; o demônio já saiu de tua filha. 30 e, indo ela para sua casa, achou a filha deitada sobre a cama, e que o demônio já tinha saído.

João 4: 6 e estava ali a fonte de Jacó. Jesus , pois, cansado do caminho, assentou-se assim junto da fonte. Era isto quase à hora sexta. 7 veio uma mulher de Samaria tirar água; disse-lhe Jesus : dá-me de beber. 8 porque os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida. 9 disse-lhe pois a mulher samaritana: como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos). 10 Jesus respondeu, e disse-lhe: se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva. 11 disse-lhe a mulher: senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde pois tens a água viva? 12 és tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado? 13 Jesus respondeu, e disse-lhe: qualquer que beber desta água tornará a ter sede; 14 mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte d’água que salte para a vida eterna. 15 disse-lhe a mulher: senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la. 16 disse-lhe Jesus : vai, chama o teu marido, e vem cá.

Registra-se, em particular, que mulheres acompanharam Jesus em sua última viagem a Jerusalém, que elas estiveram presentes a sua crucificação e que só elas foram fiéis a ele até o fim, quando os discípulos homens fugiram com medo de serem presos também: Mateus 27:55 e estavam ali, olhando de longe, muitas mulheres que tinham seguido Jesus desde a Galiléia, para o servir;56 entre as quais estavam Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago e de José, e a mãe dos filhos de Zebedeu.

Marcos 15:40 e também ali estavam algumas mulheres, olhando de longe, entre as quais também Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé, 41 as quais também o seguiam e o serviam, quando estava na Galiléia; e muitas outras que tinham subido com ele a Jerusalém.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 13
E, o mais importante de tudo, cada um dos quatro evangelhos são unânimes a indicarem que foi uma mulher – Maria Madalena, sozinha ou com outras companheiras – que descobriu o túmulo vazio, tornando-se a primeira, a saber, e a dar testemunho da ressurreição de Jesus de entre os mortos: Mateus 28:1 e, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena, e a outra Maria foram ver o sepulcro; 2 e eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra, e sentou-se sobre ela. 3 e o seu aspecto era como um relâmpago, e o seu vestido branco como neve. 4 e os guardas, com medo dele, ficaram muito assombrados, e como mortos. 5 mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: não tenhais medo; pois eu sei que buscai a Jesus , que foi crucificado. 6 ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o senhor jazia. 7 ide pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dos mortos. E eis que ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. Eis que eu vo-lo tenho dito. 8 e, saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos. 9 e, indo elas, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. 10 então Jesus disse-lhes: não temais; ide dizer a meus irmãos que vão a Galiléia, e lá me verão.
Marcos 16:1 e, passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungilo. 2 e, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol; 3 e diziam umas às outras: quem nos revolverá a pedra da porta do sepulcro? 4 e, olhando, viram que já a pedra estava revolvida; e era ela muito grande. 5 e, entrando no sepulcro, viram um mancebo assentado à direita, vestido de uma roupa comprida, branca; e ficaram espantadas. 6 porém ele disse-lhes: não vos assusteis; buscais a Jesus nazareno, que foi crucificado; já ressuscitou, não está aqui; eis aqui o lugar onde o puseram. 7 mas ide, dizei a seus discípulos, e a Pedro , que ele vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis, como ele vos disse. 8 e, saindo elas apressadamente, fugiram do sepulcro, porque estavam possuídas de temor e assombro; e nada diziam a ninguém, porque temiam.
Lucas 23: 55 e as mulheres, que tinham vindo com ele da Galiléia, seguiram também e viram o sepulcro, e como foi posto o seu corpo.56 e, voltando elas, prepararam especiarias e ungüentos, e no sábado repousaram, conforme o mandamento.
Lucas 24:1 e no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado. 2 e acharam a pedra revolvida do sepulcro. 3 e, entrando, não acharam o corpo do senhor Jesus . 4 e aconteceu que, estando elas perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois varões, com vestidos resplandecentes. 5 e, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhe disseram: por que buscais o vivente entre os mortos? 6 não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, 7 dizendo: convém que o filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite. 8 e lembraramse das suas palavras. 9 e, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais. 10 e eram Maria Madalena, e Joana, e Maria, mãe de Tiago, e as outras que com elas estavam, as que diziam estas coisas aos apóstolos.
João 20: 1 e no primeiro dia da semana Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro. 2 correu, pois, e foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: levaram o senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram. É intrigante procurar saber o que na mensagem de Jesus atraía particularmente as mulheres. A maioria dos pesquisadores está convicta de que Jesus proclamou o reino vindouro de Deus, no qual não haveria mais injustiça, sofrimento ou mal, no qual todos, ricos e pobres, escravos e livres, homens e mulheres, estariam em pé de igualdade. Essa mensagem de esperança demonstrou-se particularmente atraente para aqueles que, naquele tempo, eram excluídos – o pobre, o doente, o banido e as mulheres.

10) Alterações nos textos do NT envolvendo mulheres Uma das mais importantes passagens na discussão contemporânea sobre o papel das mulheres na igreja encontre-se em I Corintios 14:33-36. A passagem, tal qual traduzida na maioria das edições modernas da bíblia, diz o seguinte:
I Corintios 14: 33 porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. 34 as mulheres estejam caladas nas igrejas; porque lhes não é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. 35 e, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é indecente que as mulheres falem na igreja. 36 porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós?

A passagem parece ser uma proibição direta: as mulheres não devem falar (não podem ensinar) na igreja, muito semelhante à passagem de I Timoteo 2:11-15. Como vimos, contudo, os pesquisadores estão convictos de que Paulo não escreveu a passagem de i timoteo 2:11-15, porque ela ocorre em uma carta que parece ter sido escrita por um seguidor de Paulo de segunda geração, que teria atribuído a carta ao apóstolo. Mas não há dúvidas que Paulo tenha escrito I Corintios. Contudo, pairam dúvidas sobre essa
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 14
passagem. Pelo que se sabe, os versículos em questão (34-35) estão embaralhados em alguns de nossos mais importantes testemunhos. Em três manuscritos gregos e em alguns testemunhos latinos, eles não se encontram aqui, depois do versículo 33, mas depois do versículo 40.

A bíblia de Jerusalém diz assim em sua nota de rodapé: “Os versículos 34-35, que alguns manuscritos colocam depois do versículo 40, são acréscimos pós Paulino.”

Esse deslocamento de texto em vários manuscritos levou alguns pesquisadores à conclusão que esses versículos não foram escritos por Paulo, mas originados de uma espécie de nota marginal acrescentada por um copista, provavelmente influenciado por I Timoteo 2:11-15. A nota teria sido, portanto, inserida em diferentes lugares do texto por vários copistas, alguns colocaram a nota depois do versículo 33, outros a inseriram depois do versículo 40.
Conclusão esses versículos não foram escritos originalmente por Paulo.
Por um lado eles não coadunam com seu contexto imediato. Nessa parte de I Corintios 14, Paulo está analisando a questão da profecia na igreja e instruindo os profetas cristãos acerca de como devem se comportar durante as reuniões cristãs de culto. Esse é o tema dos versículos 26 até o 33, que retorna nos versículos 36 até o 40. Se os versículos 34-35 forem retirados desse contexto, a passagem parece fluir coerentemente como uma discussão do papel dos profetas cristãos. A discussão sobre as mulheres surge como uma intrusão, ou seja, como um intruso, naquele contexto imediato, interrompendo instruções que Paulo está dando sobre um tema diferente. E esses versículos não surgem apenas como uma intromissão no contexto do capitulo 14, eles parecem estar em discordância com aquilo que Paulo diz explicitamente em todo o resto de I Corintios. Antes, como vimos Paulo instrui as mulheres sobre como falar na igreja, de acordo com o capitulo 11:

I Corintios 11:5 mas toda mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta desonra a sua própria cabeça, porque é como se estivesse rapada.

Quando orarem e profetizarem, atividades que eram sempre desempenhadas em voz alta nas reuniões cristãs de adoração, elas devem se certificar de estarem com as cabeças cobertas pelo véu conforme capitulo 11:2 ao 16. Nessa passagem, seguramente escrita por Paulo, está claro que ele entende que as mulheres podem falar e falam na igreja. Na passagem do capitulo 14 que estamos discutindo, porém, fica igualmente claro que “Paulo” proíbe terminantemente as mulheres de falar na igreja. É difícil conciliar essas duas perspectivas, Paulo permite às mulheres falar (de cabeças cobertas, capitulo 11) ou não (capitulo 14)? Dado que parece impossível pensar que Paulo pudesse se contradizer tão rapidamente, no curto espaço de três capítulos, com certeza os versículos 34-35 do capitulo 14 não provem dele Paulo. Com base em uma combinação de evidências, vários manuscritos que embaralham os versículos em questão, o contexto literário imediato que faz os versículos 34-35 parecerem um intruso ali, e o contexto de todo o livro e I Corintios como um todo, chegamos a fortíssima conclusão que Paulo não escreveu o texto de I Corintios 14: 34-35. Podemos concluir que esses versículos são uma alteração escrituristica do texto, originalmente provocada, talvez, por uma nota marginal, que posteriormente, num estágio antigo da cópia de I Corintios, foi incorporado ao texto. A alteração não há dúvidas, foi feita por um copista para discriminar as mulheres na igreja. O copista que acrescentou o texto queria enfatizar que as mulheres não deviam ter função pública na igreja, que elas deviam manter-se em silêncio e subservientes a seus maridos. Essa visão veio a ser incorporada ao próprio texto, por meio de uma alteração textual. Precisamos analisar brevemente várias outras mudanças textuais semelhantes. Uma delas ocorre em uma passagem que já mencionei, Romanos 16, na qual Paulo fala de uma mulher, Júnia, e de um homem, que devia ser seu marido, Andrônico, aos quais o apostolo se refere como “apóstolos eminentes” (versículo 17). Trata-se de um versículo significativo, porque esse é o único lugar no novo testamento no qual uma mulher é citada como apóstola. Os interpretes ficaram tão impressionados com esse trecho que muitos deles passaram a sustentar que ele não podia significar o que dizia, para, desse modo, poder traduzir o versículo como chamado Junias, que, juntamente com seu companheiro, Andrônico, era elogiado como
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 15
apostolo. O problema com essa tradução é que, enquanto Júnia era um nome feminino muito comum, não há indicio no mundo antigo de “Junias” como um nome masculino. Paulo está se referindo a uma mulher chamada Júnia, mesmo que alguns tradutores bíblicos modernos (dê uma olhada na sua bíblia!) Continuem a se referir a essa apóstola como se ela fosse um homem chamado Júnias.

Bíblia de Jerusalém: Romanos 16:7- saudai Andrônico e Júnia, meus parentes e companheiros de prisão, apóstolos exímios que me precederam na fé em cristo. Bíblia João Ferreira de Almeida 7 (NTLH) saudações a Andrônico e à irmã Júnia, meus patrícios judeus, que estiveram comigo na prisão. Eles são apóstolos bem conhecidos e se tornaram cristãos antes de mim. 7 (RA) saudai Andrônico e Júnias, meus parentes e companheiros de prisão, os quais são notáveis entre os apóstolos e estavam em cristo antes de mim. 7 (RC) saudai a Andrônico e a Júnia, meus parentes e meus companheiros na prisão, os quais se distinguiram entre os apóstolos e que foram antes de mim em cristo. 7 (TB) saudai a Andrônico e a Júnias, meus compatriotas e companheiros em prisão, os quais se assinalam entre os apóstolos, e que também estavam em cristo antes de mim. 7 (NVI) saúdem Andrônico e Júnias, meus parentes que estiveram na prisão comigo. São notáveis entre os apóstolos, e estavam em cristo antes de mim.

Observe a (RA) tradução revista e atualizada, a tradução brasileira (TB) de João Ferreira de Almeida bem como a nova versão internacional (NVI) conserva o texto errado e assim perpetuando a má fé do copista. Júnias ou Júnia?

Júnias = nome masculino Júnia = nome feminino

A diferença é tão sutil que as pessoas quase não percebem. Voltando ao estudo: alguns copistas também devem ter tido dificuldades em atribuir apostolicidade a essa mulher desconhecida e, por isso, fizeram uma sutil mudança no texto para evitar o problema. Em alguns de nossos manuscritos, em vez de dizer: “saudai Andrônico e Júnia, meus parentes e companheiros de prisão, eminentes apóstolos”, o texto é mudado para se tornar mais fácil de traduzir:

Romanos 16: 7 “Saudai Andrônico e Júnia, meus parentes; saudai também meus companheiros de prisão, apóstolos eminentes”.

Com essa mudança textual, ninguém precisa mais se preocupar com o fato de uma mulher ser citada em meio ao grupo apostólico de homens! Mudança semelhante foi feita por alguns copistas no livro de Atos dos apóstolos. No capitulo 17, vemos que Paulo e seu companheiro missionário, Silas, passaram um tempo em tessalônica pregando o evangelho de Cristo aos judeus da sinagoga local. No versículo 14, ficamos sabendo que a dupla ganhou alguns convertidos de destaque:

Atos 17: 14 “E alguns deles foram persuadidos e se juntaram a Paulo e Silas, assim como muitos gregos piedosos, junto com um grande número de destacadas mulheres”. A idéia de mulheres serem importantes, sem falar em convertidas de destaque, era demais para alguns copistas. Por isso, o texto foi modificado em alguns manuscritos, de modo que agora lemos: Atos 17: 14 “E alguns deles foram persuadidos e se juntaram a Paulo e Silas, assim como muitos gregos piedosos, junto com um grande número de viúvas de homens de destaque”.

O texto passa a dizer que os homens são proeminentes, não as viúvas que se converteram. Que mudança! Vejamos como está o texto nas nossas traduções:

Atos 17: 14 (NVI) alguns dos judeus foram persuadidos e se juntaram a Paulo e Silas, bem como muitos gregos tementes a Deus, e não poucas mulheres de alta posição. Atos 17: 14 (DO) e alguns deles creram, e ajuntaram-se com Paulo e Silas; e também uma grande multidão de gregos religiosos, e não poucas mulheres principais.
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 16
Atos 17: 14 (NTLH) Paulo e Silas conseguiram convencer disso algumas daquelas pessoas, as quais se juntaram a eles. Um grande número de não-judeus convertidos ao judaísmo e muitas senhoras da alta sociedade também se juntaram ao grupo. Atos 17: 14 (RA) alguns deles foram persuadidos e unidos a Paulo e Silas, bem como numerosa multidão de gregos piedosos e muitas distintas mulheres. Atos 17: 14 (RC) e alguns deles creram e ajuntaram-se com Paulo e Silas; e também uma grande multidão de gregos religiosos e não poucas mulheres distintas. Atos 17: 14 (TB) alguns deles ficaram persuadidos, e se associaram com Paulo e Silas, bem como uma grande multidão de gregos devotos e não poucas mulheres de qualidade.

Entre os companheiros de Paulo no livro de Atos, havia um casal chamado Áquila e Priscila. Por vezes, quando são mencionados, o autor traz o nome da esposa por primeiro, como se ela tivesse algum tipo de destaque tanto no casamento como na missão cristã (como acontece em romanos 16:3, onde ela é chamada de Priscila). Como era de se esperar, alguns escribas, por vezes, se ofendiam com essa seqüência e a invertiam, ou a inverteram em vários manuscritos, de modo que o homem passa a ter o que lhe é devido pela menção de seu nome em primeiro lugar: Áquila e Priscila, em vez de Priscila e Áquila. Em resumo, houve debates nos primeiros séculos da igreja sobre o papel das mulheres e, por vezes, esses debates refletiram na transmissão textual do próprio novo testamento, visto que os copistas às vezes mudavam seus textos para fazê-los coincidir mais perto com a opinião dos limitados copistas sobre o papel das mulheres na igreja. Infelizmente isto afetou a igreja até nos dias de hoje, pois existem igrejas que não permitem as mulheres desenvolverem papel de destaque por causa destes textos adulterados do novo testamento.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 17
11) A ressurreição de Jesus segundo o novo testamento:

Aparições de Jesus segundo o evangelho de Mateus Mateus 28: 1 no findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. 2 e eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. 3 o seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste, alva como a neve. 4 e os guardas tremeram espavoridos e ficaram como se estivessem mortos. 5 mas o anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: não temais; porque sei que buscais Jesus , que foi crucificado. 6 ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Vinde ver onde ele jazia. 7 ide, pois, depressa e dizei aos seus discípulos que ele ressuscitou dos mortos e vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. É como vos digo! 8 e, retirando-se elas apressadamente do sepulcro, tomadas de medo e grande alegria, correram a anunciá-lo aos discípulos. 9 e eis que Jesus veio ao encontro delas e disse: salve! E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés e o adoraram. 10 então, Jesus lhes disse: não temais! Ide avisar a meus irmãos que se dirijam à Galiléia e lá me verão. 16 seguiram os onze discípulos para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes designara. 17 e, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. 18 Jesus , aproximando-se, falou-lhes, dizendo: toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.

Aparições de Jesus segundo Mateus: Maria Madalena e a outra Maria. Depois na Galiléia aos onze.

Aparições de Jesus segundo o evangelho de Marcos Marcos 16:1 passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem embalsamá-lo. 2 e, muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo. 3 diziam umas às outras: quem nos removerá a pedra da entrada do túmulo? 4 e, olhando, viram que a pedra já estava removida; pois era muito grande. 5 entrando no túmulo, viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de branco, e ficaram surpreendidas e atemorizadas. 6 ele, porém, lhes disse: não vos atemorizeis; buscais a Jesus , o nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde o tinham posto. 7 mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele vai adiante de vós para a Galiléia; lá o vereis, como ele vos disse. 8 e, saindo elas, fugiram do sepulcro, porque estavam possuídas de temor e de assombro; e, de medo, nada disseram a ninguém.

Aparições de Jesus segundo Marcos: Maria Madalena, Maria e Salomé. Para os onze irem para Galiléia que lá Jesus apareceria para eles.

Aparições de Jesus segundo o evangelho de Lucas Lucas 24: 1 mas, no primeiro dia da semana, alta madrugada, foram elas ao túmulo, levando os aromas que haviam preparado. 2 e encontraram a pedra removida do sepulcro; 3 mas, ao entrarem, não acharam o corpo do senhor Jesus . 4 aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes. 5 estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles lhes falaram: por que buscais entre os mortos ao que vive? 6 ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando ainda na Galiléia, 7 quando disse: importa que o filho do homem seja entregue nas mãos de pecadores, e seja crucificado, e ressuscite no terceiro dia. 8 então, se lembraram das suas palavras. 9 e, voltando do túmulo, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os mais que com eles estavam. 10 eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. 11 tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas. 12 Pedro , porém, levantando-se, correu ao sepulcro. E, abaixando-se, nada mais viu, senão os lençóis de linho; e retirou-se para casa, maravilhado do que havia acontecido. 13 naquele mesmo dia, dois deles estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusalém sessenta estádios. 14 e iam conversando a respeito de todas as coisas sucedidas. 15 aconteceu que, enquanto conversavam e discutiam, o próprio Jesus se aproximou e ia com eles. 16 os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer. 17 então, lhes perguntou Jesus : que é isso que vos preocupa e de que ides tratando à medida que caminhais? E eles pararam entristecidos. 18 um, porém, chamado Cleopas, respondeu, dizendo: és o único, porventura, que, tendo estado em Jerusalém, ignoras as ocorrências destes últimos dias? 19 ele lhes perguntou: quais? E explicaram: o que aconteceu a Jesus, o nazareno, que era varão profeta, poderoso em obras e palavras, diante de Deus e de todo o povo, 20 e como os principais sacerdotes e as nossas autoridades o entregaram para ser condenado à morte e o crucificaram. 21 ora, nós esperávamos que fosse ele quem havia de redimir a Israel ; mas, depois de tudo isto, é já este o terceiro dia desde que tais coisas sucederam. 22 é verdade também que algumas mulheres, das que conosco estavam, nos surpreenderam, tendo ido de madrugada ao túmulo; 23 e, não achando o corpo de Jesus , voltaram dizendo terem tido uma visão de anjos, os quais afirmam que ele vive. 24 de fato, alguns dos nossos foram ao sepulcro e verificaram a exatidão do que disseram as mulheres; mas não o viram. 25 então, lhes disse Jesus : ó néscios e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! 26 porventura, não convinha que o cristo padecesse e entrasse na sua glória? 27 e, começando por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as escrituras. 28 quando se aproximavam da aldeia
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 18
para onde iam, fez ele menção de passar adiante. 29 mas eles o constrangeram, dizendo: fica conosco, porque é tarde, e o dia já declina. E entrou para ficar com eles. 30 e aconteceu que, quando estavam à mesa, tomando ele o pão, abençoou-o e, tendo-o partido, lhes deu; 31 então, se lhes abriram os olhos, e o reconheceram; mas ele desapareceu da presença deles. 32 e disseram um ao outro: porventura, não nos ardia o coração, quando ele, pelo caminho, nos falava, quando nos expunha as escrituras? 33 e, na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém, onde acharam reunidos os onze e outros com eles, 34 os quais diziam: o senhor ressuscitou e já apareceu a Simão! 35 então, os dois contaram o que lhes acontecera no caminho e como fora por eles reconhecido no partir do pão. 36 falavam ainda estas coisas quando Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: paz seja convosco! 37 eles, porém, surpresos e atemorizados, acreditavam estarem vendo um espírito. 38 mas ele lhes disse: por que estais perturbados? E por que sobem dúvidas ao vosso coração? 39 vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. 40 dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. 41 e, por não acreditarem eles ainda, por causa da alegria, e estando admirados, Jesus lhes disse: tendes aqui alguma coisa que comer? 42 então, lhe apresentaram um pedaço de peixe assado e um favo de mel. 43 e ele comeu na presença deles. 44 a seguir, Jesus lhes disse: são estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na lei de Moisés, nos profetas e nos salmos. 45 então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as escrituras; 46 e lhes disse: assim está escrito que o cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia 47 e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém. 48 vós sois testemunhas destas coisas. 49 eis que envio sobre vós a promessa de meu pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder. 50 então, os levou para Betânia e, erguendo as mãos, os abençoou. 51 aconteceu que, enquanto os abençoava, ia-se retirando deles, sendo elevado para o céu. 52 então, eles, adorando-o, voltaram para Jerusalém, tomados de grande júbilo; 53 e estavam sempre no templo, louvando a Deus.

Aparições de Jesus segundo Lucas: A cleófas e um companheiro no caminho para emaús. A Pedro em Jerusalém. Aos discípulos em Jerusalém.

Aparições de Jesus segundo o evangelho de João João 20: 1 no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra estava revolvida. 2 então, correu e foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: tiraram do sepulcro o senhor, e não sabemos onde o puseram. 3 saiu, pois, Pedro e o outro discípulo e foram ao sepulcro. 4 ambos corriam juntos, mas o outro discípulo correu mais depressa do que Pedro e chegou primeiro ao sepulcro; 5 e, abaixando-se, viu os lençóis de linho; todavia, não entrou. 6 então, Simão Pedro , seguindo-o, chegou e entrou no sepulcro. Ele também viu os lençóis, 7 e o lenço que estivera sobre a cabeça de Jesus , e que não estava com os lençóis, mas deixado num lugar à parte. 8 então, entrou também o outro discípulo, que chegara primeiro ao sepulcro, e viu, e creu. 9 pois ainda não tinham compreendido a escritura, que era necessário ressuscitar ele dentre os mortos. 10 e voltaram os discípulos outra vez para casa. 11 Maria, entretanto, permanecia junto à entrada do túmulo, chorando. Enquanto chorava, abaixou-se, e olhou para dentro do túmulo, 12 e viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde o corpo de Jesus fora posto, um à cabeceira e outro aos pés. 13 então, eles lhe perguntaram: mulher, por que choras? Ela lhes respondeu: porque levaram o meu senhor, e não sei onde o puseram. 14 tendo dito isto, voltou-se para trás e viu Jesus em pé, mas não reconheceu que era Jesus . 15 perguntou-lhe Jesus : mulher, por que choras? A quem procuras? Ela, supondo ser ele o jardineiro, respondeu: senhor, se tu o tiraste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. 16 disse-lhe Jesus : Maria! Ela, voltando-se, lhe disse, em hebraico: raboni (que quer dizer mestre)! 17 recomendou-lhe Jesus : não me detenhas; porque ainda não subi para meu pai, mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: subo para meu pai e vosso pai, para meu Deus e vosso Deus. 18 então, saiu Maria Madalena anunciando aos discípulos: vi o senhor! E contava que ele lhe dissera estas coisas. 19 ao cair da tarde daquele dia, o primeiro da semana, trancadas as portas da casa onde estavam os discípulos com medo dos judeus, veio Jesus , pôs-se no meio e disse-lhes: paz seja convosco! 20 e, dizendo isto, lhes mostrou as mãos e o lado. Alegraram-se, portanto, os discípulos ao verem o senhor. 21 disse-lhes, pois, Jesus outra vez: paz seja convosco! Assim como o pai me enviou, eu também vos envio.

Aparições de Jesus segundo João: A Maria Madalena. Aos discípulos em Jerusalém. A Tomé e demais discípulos em Jerusalém. A alguns discípulos em Tiberíades.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 19
Aparições de Jesus segundo o apostolo Paulo I Corintios 15: 1 irmãos, venho lembrar-vos o evangelho que vos anunciei, o qual recebestes e no qual ainda perseverais; 2 por ele também sois salvos, se retiverdes a palavra tal como vo-la preguei, a menos que tenhais crido em vão. 3 antes de tudo, vos entreguei o que também recebi: que cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as escrituras, 4 e que foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as escrituras. 5 e apareceu a Cefas e, depois, aos doze. 6 depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maioria sobrevive até agora; porém alguns já dormem. 7 depois, foi visto por Tiago, mais tarde, por todos os apóstolos 8 e, afinal, depois de todos, foi visto também por mim, como por um nascido fora de tempo.

Aparições de Jesus segundo Paulo: I Corintios capítulo 15: Primeira aparição: a Cefas; não cita o lugar. Segunda aparição: aos doze; não cita o lugar. Terceira aparição: para mais de 500 irmãos. Não cita o lugar. Quarta aparição: a Tiago irmão de Jesus. Não cita o lugar. Quinta aparição: aos doze apóstolos; não cita o lugar.

Comentários sobre as aparições de Jesus. Mateus 28: Primeira aparição: a marta e a outra Maria, no caminho de volta do túmulo (“… ide dizer aos meus irmãos que vão à Galiléia e lá me verão”). Segunda aparição: aos discípulos na Galiléia.

João 20: Primeira aparição: apenas a Maria Madalena, e do lado de fora do túmulo. Segunda aparição: aos discípulos, mas em Jerusalém, e não na Galiléia conforme registra Mateus . Terceira aparição: a Tomé e demais discípulos. Também em Jerusalém. Quarta aparição: a alguns discípulos junto ao mar de Tiberíades, na Galiléia.

A divergência é tão acentuada, mais tão acentuada entre esses dois companheiros de Jesus, tornando-se difícil concluirmos que Mateus e João relatam um mesmo evento de maneira completamente diferente. Das duas, uma: ou João realmente fantasia o relato, isto é, tem uma imaginação fértil, conforme nos levam a crer os seus escritos, ou seu evangelho, escrito lá por volta do ano 100 a 110 da nossa era, fora vitima de tópicos acrescentados, os mais diversos, posteriormente intercalados. Comecei com Mateus e João porque os dois eram (pseudos) apóstolos e teoricamente viveram juntos com Jesus e foram testemunhas oculares da vida de Jesus. Devido Mateus e João receberem os créditos da composição dos evangelhos que levam seus nomes, se esperaria deles como testemunhas oculares, uma certa coesão na narrativa dos acontecimentos e dos fatos descritos nos dois evangelhos. Porém não é o que se vê, parece que um dos dois faltou no ensaio e por fim temos dois testemunhos totalmente conflitantes. Um amigo meu costuma dizer que; se ele fosse um delegado de policia, e chamasse para depor Mateus, Marcos, Lucas e João, sobre os fatos e narrativas da paixão, crucificação de Jesus e para saber quem matou Jesus, ele costuma dizer que com estes quatro testemunhos diferentes e conflitantes, ele na condição de delegado mandaria prender os quatro, ou seja, mandaria prender Mateus, Marcos, Lucas e João como suspeitos por terem dado testemunhos tão discrepantes.

Obs.: se considerarmos que os tais Mateus e João eram apóstolos. Porém os estudiosos e especialistas não acreditam que tenham sido os apóstolos que escreveram os evangelhos e sim discípulos de suas comunidades que usaram seus nomes. Isto talvez explique as divergências dos evangelhos, ou seja, nenhum dos escritores dos quatro evangelhos teriam sido testemunhas oculares, mas sim discípulos de terceira ou quarta geração das comunidades que os apóstolos fundaram.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 20
Vejamos agora o que nos diz Marcos e Lucas que não eram apóstolos:

Marcos capitulo 16 Primeira aparição: a Maria Madalena e Maria mãe de Tiago e Salomé apareceu um mancebo vestido de branco que disse que Jesus havia ressuscitado e não estava mais ali, para elas irem avisar os discípulos que Jesus iria adiante deles para a Galiléia. Só consideraremos até o versículo 8 porque do versículo 9 até o 20 são acréscimos do século IV. Também o anjo disse para elas avisarem os demais para irem para a Galiléia que ele Jesus os esperaria e lá eles o veriam.

Lucas capitulo 24 Primeira aparição: a Cleófas e um seu companheiro a caminho de emaús. Segunda aparição: somente a Pedro, em Jerusalém. Terceira aparição: aos discípulos em Jerusalém.

Enquanto Mateus e Marcos atribuem as duas Marias a primeira aparição de Jesus no caminho de volta ao túmulo, Lucas nega-a, atribuindo-a primeiramente a Cléofas e seu companheiro a caminho de Emaús.

A segunda aparição Mateus diz que foi aos discípulos na Galiléia, tirando os versículos acrescentados do evangelho de Marcos que são do versículo 9 ao 20 do capitulo 16, coisa esta que não é novidade, pois até a bíblia Almeida RA – NTLH -, mantêm estes versículos entre colchetes, e nas edições de estudos, nas notas de rodapé, dizem que os versículos não existem nos melhores manuscritos gregos, voltando ao nosso tema; tirando esses versículos o evangelho de Marcos termina com a ordem dada pelo anjo para os discípulos irem para a Galiléia que lá verão Jesus, está afinadíssimo com o evangelho de Mateus que narra essa aparição na Galiléia. Porém os evangelhos de Lucas e de João estão em grande conflito; Lucas diz que Jesus apareceu primeiro aos dois discípulos que iam para emaús enquanto João diz que Jesus apareceu primeiro para Maria Madalena em Jerusalém ainda no tumulo do lado de fora. A segunda aparição Lucas diz que Jesus apareceu somente para Pedro, já João diz que Jesus apareceu para os discípulos em Jerusalém. Na terceira aparição Lucas diz que Jesus apareceu para os discípulos em Jerusalém enquanto João diz que Jesus apareceu para Tomé e demais discípulos também em Jerusalém. E por fim na quarta aparição apenas João cita que Jesus apareceu para alguns discípulos junto ao mar de Tiberiades na Galiléia. E o que falar dos relatos de Paulo a respeita da aparição de Jesus que cita 5 aparições e não cita os lugares e cita uma sexta aparição que foi a ele Paulo na estrada de damasco, nos cinco testemunhos nenhum se encontra afinado com o outro, dando a impressão que todos faltaram nos ensaios e esqueceram o que tinham de dizer. É lamentável ainda se ouvir falar na inerrância do novo testamento após tantos relatos desencontrados.

Em relação à ascensão de Jesus aos céus, em Lucas a ascensão ocorre em Betânia, isto é, nas proximidades de Jerusalém, enquanto Mateus garante ter sido na longínqua Galiléia.

Como vemos Jesus precisaria ser mágico para aparecer a pessoas diferentes em lugares diferentes em ordem cronológicas diferentes e ascender aos céus em lugares diferentes e assim por diante. Seria o novo testamento inerrante ou nos é que somos incrédulos e não podemos pensar, e assim deixar de exercer nosso direito de questionar tremendas discrepâncias no novo testamento?

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 21
Quadro sinóptico da ressurreição e aparições de Jesus nos Evangelhos

MATEUS 28: 1 No findar do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. 2 E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do céu, chegou-se, removeu a pedra e assentouse sobre ela. 3 O seu aspecto era como um relâmpago, e a sua veste, alva como a neve. 4 E os guardas tremeram espavoridos e ficaram como se estivessem mortos. 5 Mas o anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: Não temais; porque sei que buscais JESUS, que foi crucificado. 6 Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Vinde ver onde ele jazia. 7 Ide, pois, depressa e dizei aos seus discípulos que ele ressuscitou dos mortos e vai adiante de vós para a Galiléia; ali o vereis. É como vos digo! 8 E, retirando-se elas apressadamente do sepulcro, tomadas de medo e grande alegria, correram a anunciá-lo aos discípulos. 9 E eis que JESUS veio ao encontro delas e disse: Salve! E elas, aproximando-se, abraçaram-lhe os pés e o adoraram. 10 Então, JESUS lhes disse: Não temais! Ide avisar a meus irmãos que se dirijam à Galiléia e lá me verão. 16 Seguiram os onze discípulos para a Galiléia, para o monte que JESUS lhes designara. 17 E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. 18 JESUS, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra.

MARCOS 16: 1 Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem embalsamá-lo. 2 E, muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo. 3 Diziam umas às outras: Quem nos removerá a pedra da entrada do túmulo? 4 E, olhando, viram que a pedra já estava removida; pois era muito grande. 5 Entrando no túmulo, viram um jovem assentado ao lado direito, vestido de branco, e ficaram surpreendidas e atemorizadas. 6 Ele, porém, lhes disse: Não vos atemorizeis; buscais a JESUS, o Nazareno, que foi crucificado; ele ressuscitou, não está mais aqui; vede o lugar onde o tinham posto. 7 Mas ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele vai adiante de vós para a Galiléia; lá o vereis, como ele vos disse. 8 E, saindo elas, fugiram do sepulcro, porque estavam possuídas de temor e de assombro; e, de medo, nada disseram a ninguém.

LUCAS 24: 1 Mas, no primeiro dia da semana, alta madrugada, foram elas ao túmulo, levando os aromas que haviam preparado. 2 E encontraram a pedra removida do sepulcro; 3 mas, ao entrarem, não acharam o corpo do Senhor JESUS. 4 Aconteceu que, perplexas a esse respeito, apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes. 5 Estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles lhes falaram: Por que buscais entre os mortos ao que vive? 6 Ele não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos de como vos preveniu, estando ainda na Galiléia, 7 quando disse: Importa que o Filho do Homem seja entregue nas mãos de pecadores, e seja crucificado, e ressuscite no terceiro dia. 8 Então, se lembraram das suas palavras. 9 E, voltando do túmulo, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os mais que com eles estavam. 10 Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. 11 Tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas. 12 Pedro, porém, levantando-se, correu ao sepulcro. E, abaixando-se, nada mais viu, senão os lençóis de linho; e retirou-se para casa, maravilhado do que havia acontecido. 13 ¶ Naquele mesmo dia, dois deles estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusalém sessenta estádios. 14 E iam conversando a respeito de todas as coisas sucedidas. 15 Aconteceu que, enquanto conversavam e discutiam, o próprio JESUS se aproximou e ia com eles. 16 Os seus olhos, porém, estavam como que impedidos de o reconhecer. 17 Então, lhes perguntou JESUS: Que é isso que vos preocupa e de que ides tratando à medida que caminhais? E eles pararam entristecidos. 18 Um, porém, chamado Cleopas, respondeu, dizendo: És o único, porventura, que, tendo estado em Jerusalém, ignoras as ocorrências destes últimos dias?

33 E, na mesma hora, levantando-se, voltaram para Jerusalém, onde acharam reunidos os onze e outros com eles, 34 os quais diziam: O Senhor ressuscitou e já apareceu a Simão! 35 Então, os dois contaram o que lhes acontecera no caminho e como fora por eles reconhecido no partir do pão. 36 Falavam ainda estas coisas quando
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 22

APARIÇÕES DE JESUS:

  1. MARIA MADALENA E A OUTRA MARIA. 2. DEPOIS NA GALILÉIA AOS ONZE.

APARIÇÕES DE JESUS: UM ANJO APARECE À MARIA MADALENA, MARIA E SALOMÉ E PEDE QUE ELAS AVISEM OS DISCIPULOS PARA IREM PARA A GALILÉIA QUE LÁ APARECERÁ PARA ELES.

JESUS apareceu no meio deles e lhes disse: Paz seja convosco! 37 Eles, porém, surpresos e atemorizados, acreditavam estarem vendo um espírito.

47 e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém. 48 Vós sois testemunhas destas coisas. 49 Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder. 50 Então, os levou para Betânia e, erguendo as mãos, os abençoou. 51 Aconteceu que, enquanto os abençoava, iase retirando deles, sendo elevado para o céu. 52 Então, eles, adorando-o, voltaram para Jerusalém, tomados de grande júbilo; 53 e estavam sempre no templo, louvando a Deus.

APARIÇÕES DE JESUS: 1. A CLEÓFAS E UM COMPANHEIRO NO CAMINHO PARA EMAÚS. 2. A PEDRO EM JERUSALÉM. 3. AOS DISCIPULOS EM BETÂNIA.

Perceba a diferença nos relatos da ressurreição:  Marcos diz que um anjo apareceu para as mulheres e as avisou para dizer aos discípulos irem para a galiléia que lá apareceria para eles, isto considerando apenas os versos 1-8 e não considerando os acréscimos dos versos 9-20.  Mateus diz que Jesus apareceu para Maria madalena e a outra Maria e pediu para elas avisarem os discípulos para eles iram para a galiléia que lá aparecerá para eles, e assim foi, eles se dirigiram para a galiléia e Jesus pareceu para eles num monte.  Lucas embola todo o meio de campo e diz que Jesus não apareceu às mulheres, que quem elas viram foram dois anjos que anunciaram que Jesus tinha ressuscitado. Que Pedro foi ao sepulcro e não o viu, vendo apenas os lençóis de linho e o sepulcro vazio. Diz ainda que Jesus apareceu primeiro para dois discípulos no caminho de emaús. Diz que depois apareceu a Pedro e por último aos discípulos em Jerusalém. Alias, todas estas aparições exceto a dos dois primeiros discípulos foram em Jerusalém.

Como você pode observar os relatos são muito conflitantes, e não se sabe quem está dizendo a verdade tanto da seqüência correta dos fatos como dos fatos em si. O que sabemos é a ordem cronológica que foram escritos os evangelhos:  Marcos entre os anos 70 ao 80 do I século.  Mateus entre os anos 80 e 90 do I século.  Lucas entre os anos 90 e 100 do I século.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 23
12) A hora da crucificação
Mateus 27: 43 confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: sou filho de Deus. 44 e o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados. 45 e desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona. 46 e perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, Lama Sabactâni, isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Marcos 15: 25 e era a hora terceira, e o crucificaram. 30 salva-te a ti mesmo, e desce da cruz. 31 e da mesma maneira também os principais dos sacerdotes, com os escribas, diziam uns para os outros, zombando: salvou os outros, e não pode salvar-se a si mesmo; 32 o cristo, o rei d’Israel , desça agora da cruz, para que o vejamos e acreditemos. Também os que com ele foram crucificados o injuriavam. 33 e, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até à hora nona. 34 e, à hora nona, Jesus exclamou com grande voz, dizendo: Eloi, Eloi, Lama Sabactâni? Que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?

Lucas 23: 44 e era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona, 45 escurecendo-se o sol; e rasgouse ao meio o véu do templo. 46 e, clamando Jesus com grande voz, disse: pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou.

João 19: 13 ouvindo pois Pilatos este dito, levou Jesus para fora, e assentou-se no tribunal, no lugar chamado litostrotos, e em hebraico gábata. 14 e era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: eis aqui o vosso rei.

Que horas exatamente Jesus foi crucificado? a) Mateus diz que “desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona. E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz”. Portanto segundo Mateus Jesus morreu perto da nona hora. Da 6ª até a 9ª hora houve trevas e Jesus morreu: “e, à hora nona Jesus exclamou com grande voz”. Segundo Mateus Jesus foi crucificado na 3ª hora e ficou pendurado no madeiro até à 9ª hora, totalizando 6 horas pendurado na cruz.

b) Segundo Marcos Jesus morreu na 9ª hora. Segundo Marcos Jesus foi crucificado na terceira hora, ou seja, da terceira até a 6ª hora estava o tempo normal, depois da 6ª hora até à 9ª hora houve trevas e escuridão que parecia o dia ter se tornado noite, calculando então Jesus ficou pendurado na cruz durante 6 horas, em outras palavras, da terceira hora até à nona hora.

c) Lucas diz quase a mesma coisa: “e era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até a hora nona … E, clamando Jesus com grande voz, disse: pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.” Segundo Lucas Jesus também foi crucificado na 3ª hora e ficou na cruz até a 9ª hora.

d) João deve ter faltado nesse ensaio, repare o que João diz: “e era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: eis aqui o vosso rei”. João fala isto quando Pilatos entrega Jesus aos judeus para o crucificarem. Mas, como pode, se os outros três evangelistas dizem que, houve trevas da 6ª à 9ª hora, ou seja, na 6ª hora Jesus já estava na cruz fazia três horas? Segundo João Jesus foi para a cruz na 6ª hora, ou seja, Jesus só teria ficado pendurado na cruz durante três horas, resumindo da 6ª hora até à 9ª hora. É muita discrepância. Com certeza o relato de João é no mínimo duvidoso.

É preferível ficar com os testemunhos dos três evangelistas Mateus, Marcos e Lucas do que com o relato de João.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 24
13) A conversão de Paulo
Atos 9:26 Saulo foi para Jerusalém e tentou juntar-se aos seguidores de Jesus . Porém todos tinham medo dele porque não acreditavam que ele também era seguidor de Jesus. 27 então Barnabé veio ajudá-lo e o apresentou aos apóstolos. E lhes contou como Saulo tinha visto o senhor no caminho e como o senhor havia falado com ele. Barnabé também contou como, em Damasco, Saulo, pelo poder do nome de Jesus, havia anunciado corajosamente o evangelho. 28 depois disso Saulo ficou com eles, andando por toda parte em Jerusalém; e, pelo poder do nome do senhor, ele anunciava corajosamente o evangelho. 29 ele também conversava e discutia com os judeus que tinham sido criados fora da terra de Israel, mas eles procuravam um jeito de matá-lo. 30 quando os irmãos souberam disso, levaram Saulo até a cidade de Cesáreia e depois o mandaram para a cidade de tarso.

Gálatas 1:15 porém Deus, na sua graça, me escolheu antes mesmo de eu nascer e me chamou para servi-lo. E, quando ele resolveu16 revelar para mim o seu filho a fim de que eu anunciasse aos não-judeus a boa notícia a respeito dele, eu não fui pedir conselhos a ninguém. 17 e também não fui até Jerusalém para falar com aqueles que eram apóstolos antes de mim. Pelo contrário, fui para a região da Arábia e depois voltei para Damasco. 18 três anos depois, fui até Jerusalém para pedir informações a Pedro e fiquei duas semanas com ele.19 e não falei com nenhum outro apóstolo, a não ser com Tiago, irmão do senhor.20 o que estou escrevendo a vocês é verdade. Deus sabe que não estou mentindo.

Os dois textos acima trazem um grande problema, ou para Paulo que escreveu o livro aos Gálatas, ou para Lucas que escreveu o livro de Atos. E olha que eles eram amigos. E Lucas era ferrenho defensor de Paulo e sua teologia.

Lucas fala que Paulo logo após a sua conversão foi para Jerusalém e tentou se juntar aos seguidores de Jesus. Note que é isso mesmo que o texto quer dizer não dando espaço para um período de três anos após a conversão de Paulo, pois como a conversão era recente os seguidores de Jesus tinham medo de Paulo porque não acreditavam que ele era seguidor de Jesus.

Já o próprio Paulo desmente isto falando que, quando Jesus apareceu para ele e o chamou para pregar aos gentios, ele não foi para Jerusalém falar com os apóstolos ao contrario ele foi para a região do Mar de Arabah e lá ficou por três anos, e somente no final desses três anos ele foi para Jerusalém. E então procurou Tiago irmão de Jesus.

Muito difícil de conciliar estes dois textos. Um dos dois perde o crédito quanto à veracidade da narração, ou até mesmo os dois perdem o crédito. Ou Lucas não conhecia os fatos, ou Paulo mentiu, das duas uma.

De novo a tal da inerrância do novo testamento indo pelo ralo.É preciso ter muito cuidado e escolher o texto mais próximo da verdade, porém esta escolha deve se fundar em pesquisa séria e conhecer as datas destas composições destas cartas tanto de Paulo quanto as datas das composições de Lucas, ou seja, o evangelho de Lucas e os Atos dos apóstolos.

Se o critério de veracidade a ser estabelecido for as datas, então a carta de Paulo aos Gálatas é o testemunho mais fiel e verídico, pois esta carta data dos anos 50 d. C., enquanto que os escritos de Lucas somente nos anos 90 d. C.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 25
14) Os dois ladrões da cruz

a) Segundo o evangelho de Marcos. Marcos 15:32 (ra) desça agora da cruz o cristo, o rei de Israel , para que vejamos e creiamos. Também os que com ele foram crucificados o insultavam.
Segundo o evangelho de Marcos os dois ladrões na cruz zombavam e escarneciam de Jesus. Note bem o texto está no plural “Também os que com ele foram crucificados o insultavam.” Ou seja, segundo o evangelho de Marcos não houve o tal ladrão bonzinho que se converteu, muito pelo contrário ambos zombaram de Jesus.

b) Segundo o evangelho de Mateus. Mateus 27: 38 E foram crucificados com ele dois salteadores, um, à direita, e outro, à esquerda. 39 E os que passavam blasfemavam dele, meneando a cabeça 40 e dizendo: Tu, que destróis o templo e, em três dias, o reedificas, salva-te a ti mesmo; se és o Filho de Deus, desce da cruz. 41 E da mesma maneira também os príncipes dos sacerdotes, com os escribas, e anciãos, e fariseus, escarnecendo, diziam: 42 Salvou os outros e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça, agora, da cruz, e creremos nele; 43 confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus. 44 E o mesmo lhe lançaram também em rosto os salteadores que com ele estavam crucificados.

Segundo a narração do evangelho de Mateus os dois ladrões também zombavam de Jesus e blasfemavam dele como os que passavam e também como os principais sacerdotes que eram os saduceus que escarnecendo dele diziam: “42 Salvou os outros e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça, agora, da cruz, e creremos nele; 43 confiou em Deus; livre-o agora, se o ama; porque disse: Sou Filho de Deus.”

c) Segundo o evangelho de Lucas. Lucas 23:40 (ra) respondendo-lhe, porém, o outro, repreendeu-o, dizendo: nem ao menos temes a Deus, estando sob igual sentença?41 nós, na verdade, com justiça, porque recebemos o castigo que os nossos Atos merecem; mas este nenhum mal fez. 42 e acrescentou: Jesus lembra-te de mim quando vieres no teu reino. 43 Jesus lhe respondeu: em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.

Segundo o evangelho de Lucas que é o mais tardio dos três evangelhos sinópticos, ou seja, Mateus, Marcos e Lucas, segundo ele houve um ladrão bonzinho que se arrependeu na hora da crucificação. A pergunta que eu faço é: Onde Lucas foi arrumar tal estória se ele não foi testemunha ocular da crucificação? E outra coisa, é sabido que Lucas quando escreveu o seu evangelho ele copiou 90 % do testemunho do evangelho de Marcos no seu evangelho, e ele mesmo Lucas nos dá uma informação preciosa que ele ao escrever o seu evangelho pesquisou diversas fontes de outros que haviam já feito tal tarefa, ou seja, de narrar os fatos a respeito de Jesus. Veja:

(TB) Lucas 1: 1 Tendo muitos empreendido fazer uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, 2 como no-los transmitiram os que foram deles testemunhas oculares desde o princípio, e ministros da palavra; 3 também a mim, depois de haver investigado tudo cuidadosamente desde o começo, pareceu-me bem, excelentíssimo Teófilo, dar-te por escrito uma narração em ordem, 4 para que conheças a verdade das coisas em que foste instruído.

Lucas quando compôs o seu evangelho por certo estava na sua mesa ou escrivaninha de posse do evangelho de Marcos que é o mais antigo dos quatro e o de Mateus que vem logo a seguir. Qual fonte ele teria usado para narrar a estória do bom ladrão sendo que os dois testemunhos principais por escritos na época não tinham tal estória?

A primeira contradição diz respeito a Jesus ser zombado pelos dois ladrões nos evangelhos de Mateus e Marcos e em Lucas existir um ladrão bonzinho que é salvo na última hora. Onde é que Lucas achou esta estória do bom ladrão se as fontes que ele usou para fazer o seu evangelho não tinham esta estória. Segundo o evangelho de Lucas apenas um dos ladrões zombava e escarnecia de Jesus. Segundo o evangelho de Lucas o bom ladrão repreendeu o primeiro e ainda se arrependeu e segundo as melhores traduções disse: “Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino.” O segundo erro cria um problema tão grande quanto o primeiro e se não, pior ainda;

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 26
“Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”. “E disse-lhe Jesus: em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso.”

Mas como seria isso possível se segundo o evangelho de João Jesus só ascendeu ao céu depois de quarenta dias de aparições aos seus discípulos, e ele mesmo disse a Maria após a ressurreição para ela não tocá-lo que ele não tinha ido para o pai ainda?

O grande problema destas passagens é que dois dos evangelistas dizem que os dois ladrões zombavam, escarneciam e insultavam Jesus na hora da crucificação, e o quarto evangelista não diz nada a respeito, e o quarto evangelista também foi testemunha da crucificação e estava com Jesus na hora da crucificação segundo relata o próprio evangelho. E por que ele se cala em relação aos dois ladrões na cruz? Enfim Lucas parece uma voz solitária a defender o bom ladrão e relatar o fato diferente do ocorrido. E o que falar das palavras “ hoje mesmo estarás comigo no paraíso” Infelizmente a estória já é duvidosa, e as traduções mal feitas complicaram ainda mais a situação. Colocando palavras na boca de Jesus que ele não disse. Pois estas palavras mal traduzidas colocam a situação da ressurreição dos mortos no último dia e do julgamento final em cheque. Pois se a pessoa ao morrer já vai para o paraíso para que seria necessária a ressurreição? E para que o juízo final? E se não há ressurreição logo é vã a nossa fé segundo palavras do próprio Paulo.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 27
15) Anomia = contra a lei de Moisés

Anomistas ou antinomista Antinomista é quem segue o antinomismo, doutrina religiosa que diz que Jesus aboliu a lei de Deus, e que depois de Jesus mudou tudo, e que alguns mandamentos da lei de Deus (como, por exemplo, o mandamento da circuncisão, o mandamento de guardar o sábado, o mandamento de não comer os animais imundos e os mandamentos relativos às festas ordenadas por Deus) não precisam mais ser obedecidos.

Antinomismo Nomia = lei Anomia = transgressão da lei

Antinomismo significa contra-o-sistema-da-lei. Ele vê a própria lei de Deus como o inimigo real. O antinomismo propõe que pelo fato de o crente ser salvo somente pela graça, ele deve de agora em diante não ter nenhum relacionamento com a lei. A era do espírito, diz-se, substituiu a era da lei.

O antinomismo é a essência da condição humana pecaminosa: “pecado é a transgressão da lei”, disse o apóstolo João (1 João 3:4), e Paulo declara: “a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser” (romanos 8:7).

O antinomismo, de uma forma ou outra, é, sem dúvida, um dos principais erros do cristianismo.

A obediência consciente à palavra de Deus objetiva é freqüentemente estigmatizada como legalismo. Como uma torrente inaudita de transgressões da lei, crimes e corrupção moral estão destruindo os fundamentos da sociedade, e a própria igreja se assemelha ao sansão tosquiado diante dos filisteus. Como pode a igreja que tem se despedaçado com sentimentos antinomistas ter qualquer palavra real do Senhor para a sociedade pecadora e permissiva? Em vez de lutar com firmeza pelos absolutos ideais morais dos mandamentos da lei, a igreja professa é encontrada freqüentemente acomodando a lei de Deus às normas sociais atuais e ainda à vezes, combatendo quem tenta viver amando a lei de Deus e meditando nela de dia e de noite como Davi que foi um homem segundo o coração de Deus.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 28
16) A palavra grega (anomian) anomia no novo testamento

Anomia I: palavras ditas por Jesus Textus receptus – matthew 7:23 – kai tote omologhsw autoiv oti oudepote egnwn umav apocwreite ap emou oi ergazomenoi thn anomian
Tradução de João Ferreira de Almeida Ra – Mateus 7:23 e, então, lhes direi abertamente: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.
Dicionário grego / português da Bíblia on line da sociedade bíblica do Brasil : Anomian /anomiav / anomia = é ilegalidade; desprezo da lei; condição ou ação não simplesmente ilegal, como a etimologia indica, mas contrária \a lei. A lei é geralmente por implicação a lei mosaica.
Traduzindo corretamente o versículo: Mateus 7:23 e, então, lhes direi abertamente: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós transgressores da Torah.
Toráh = os cinco primeiros livros da bíblia, a lei de Moisés ou se vocês preferiram O Pentateuco.

Anomia II: palavras ditas por Jesus Textus receptus – matthew 13:41 – apostelei o uiov tou anyrwpou touv aggelouv autou kai sullexousin ek thv basileiav autou panta ta skandala kai touv poiountav thn anomian

Tradução João Ferreira de Almeida Mateus 13:41 (ra) mandará o filho do homem os seus anjos, que ajuntarão do seu reino todos os escândalos os que praticam a iniqüidade.

Traduzindo corretamente o versiculo Mateus 13:41 – enviará o filho do homem seus anjos, e eles colherão e expulsarão do seu reino todos aqueles que servem de tropeço e todos os transgressores da Torah.

Anomia III: palavras ditas por Paulo o apostolo Codice sinaiticus do ano +- 350 d.c. (tischdrf) 2 tessalonicenses 2:3 – mh tiv umav exapathsh kata mhdena tropon oti ean mh elyh h apostasia prwton kai apokalufyh o anyrwpov thv anomiav o uiov thv apwleiav

Versões João Ferreira de Almeida: 3 (RA) ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição,

Tradução do novo mundo das escrituras sagradas: 3 (TNVES) que ninguém vos seduza, de maneira alguma, porque não virá a menos que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem que é contra a Torah, o filho da destruição.

Anomia IV : palavras ditas por João o apostolo (tr) – 4 pav o poiwn thn amartian kai thn anomian poiei kai h amartia estin h anomia

I João 3: 4 – todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da Torah.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 29
17) Brit Chadashah (Nova Aliança) tradução da Peshita em aramaico

a) Yeshua E A Torah De Elohim Mateus 5: 17 não penseis que vim abolir a torá ou os profetas; não vim para abolir, mas para torná-los plenos. 18 amen! Por que vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da torá um só yud ou um só traço, até que tudo seja cumprido. 19 qualquer, pois, que violar uma destas mitsvot, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que as cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. 20 pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos professores da torá e p’rushim, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.
Mateus 7: 12 portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei vós também a eles; porque esta é a torá e os profetas. 22 muitos me dirão naquele dia: Adom, Adom, não comemos e bebemos em teu nome? E não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitos milagres? 23 então lhes direi claramente: nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a transgressão à torá.
Mateus 13: 40 pois assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim será no fim do mundo. 41 mandará o filho do homem os seus anjos, e eles ajuntarão do seu reino todos os que servem de tropeço, e os que praticam a transgressão à torá, 42 e lançá-los-ão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes.

b) Yeshua e a maior de todas as mitzvot Marcos 12: 28 aproximou-se dele um dos professores da torá que os ouvira discutir e, percebendo que lhes havia respondido bem, perguntou-lhe: qual é a primeira de todas as mitsvot? 29 respondeu Yeshua : a primeira é: Ouve, Israel , Yahuéh; nosso Elohim é o único Yahuéh. [no hebraico: Shema Israel Yahuéh; Eloheinu, Yahuéh; Echad] 30 amarás, pois, a Yahuéh; teu Elohim de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças. 31 e a segunda é esta: amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outra mitsvá maior do que essas. 32 ao que lhe disse o professor da torá: muito bem, rabino; com verdade disseste que ele é um, e fora dele não há outro; 33 e que ama-lo de todo o coração, de todo o entendimento e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios. 34 e Yeshua , vendo que havia respondido sabiamente, disse-lhe: não estás longe do reino de Elohim. E ninguém ousava mais interrogá-lo.

c) Hashaliach Shaul E A Torah Romanos 7: 12 de modo que a torá é santa, e a mitsvá santa, justa e boa. 13 logo o bom tornou-se morte para mim? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte por meio do bem; a fim de que pela mitsvá o pecado se manifestasse excessivamente maligno. 14 porque bem sabemos que a torá é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado. 15 pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço. 16 e, se faço o que não quero, consinto com a torá, que é boa. 17 agora, porém, não sou mais eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. 18 porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito o querer o bem está em mim, mas o efetuá-lo não está. 19 pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse pratico. 20 ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. 21 acho então esta “lei” em mim: que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. 22 porque, segundo o homem interior, tenho prazer na torá de Elohim; 23 mas vejo nos meus membros outra “lei” guerreando contra a torá do meu entendimento, e me levando cativo à “lei” do pecado, que está nos meus membros. 24 miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? 25 graças a Elohim pela mão de Yeshua HaMashiach Adoneinu! Agora, portanto, em minha mente sirvo à torá de Elohim. Porém em minha carne [ainda] sirvo à “lei do pecado”.

II Tessalonicenses capítulo 2:1 ora, quanto à vinda de Adoneinu Yeshua HaMashiach e à nossa reunião com ele, pedimos a vós, irmãos, 2 que não vos movais facilmente do vosso modo de pensar, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola como enviada de nós, como se o dia do Adom Yeshua estivesse já perto. 3 ninguém de modo algum vos engane; porque isto não acontecerá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem contrário à torá, o filho da perdição, 4 o adversário que é exaltado sobre tudo e se chama de Deus e é objeto de adoração, de modo que se senta no Beit Hamikdash de Elohim, apresentando-se como Elohim. 5 não vos lembrais de que eu vos dizia estas coisas quando ainda estava com vocês? 6 e agora vós sabeis o que o detém para que a seu próprio tempo seja revelado. 7 pois o mistério da ira contra a torá já opera; somente há um que agora o detém até que seja posto fora; 8 e então será revelado o inimigo da torá, a quem o Adom Yeshua matará com o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda; 9 a esse inimigo da torá cuja vinda é segundo a eficácia de HaSatan com todo o poder e sinais e prodígios de mentira, 10 e com todo o engano da injustiça para os que morrem, porque não receberam o amor da verdade para serem salvos. 11 e por isso Elohim lhes envia a operação do erro, para que creiam na mentira;

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 30
d) Yohanan e a Torah I João 3: 4 todo aquele que vive habitualmente no pecado está também violando a Torá, pois o pecado é a transgressão à Torá.

18) A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém

Podemos exemplificar a imaginação criativa de todos os evangelistas examinando as diferentes maneiras pelas quais cada um deles conta a mesma história. Tomemos o relato da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. (Marcos 11:1-10 – Mateus 21:1-11 – Lucas 19:29-40 – João 12:12-19).

Todos os quatro evangelistas começam essa narrativa com Jesus enviando dois discípulos a uma aldeia próxima para pegar um jumentinho (Mateus inclui uma jumenta ao lado do jumentinho). Jesus lhes diz para pegarem o animal e, se alguém lhes perguntar alguma coisa, responderem que “o Senhor precisa dele” (deles em Mateus). Uma interpretação moderna e racional seria a de que Jesus tinha alugado o jumento e providenciado a entrega naquela aldeia. Mas, muito provavelmente, os primeiros leitores dos evangelhos se impressionaram com o fato de Jesus saber de antemão que lá estaria um jumentinho (ou uma jumenta e um jumentinho conforme Mateus ) e que alguns passantes perguntariam aos discípulos o que eles estavam fazendo ( como é narrado em Marcos e Lucas ).

A razão para a curiosa referência de Mateus aos dois animais torna-se clara quando ele (ao contrario de Marcos e Lucas) cita as escrituras hebraicas no caso especifico Zacarias 9:9 de uma forma ligeiramente diferente daquela versão dos LXX, ou seja, a septuaginta tradução grega da bíblia hebraica, juntando-as com as frases de Isaias 62:1).

Zacarias 9:9 – Bíblia Hebraica 9- exulta muito, filha de Sião! Grita de alegria, filha de Jerusalém! Eis que o teu rei vem a ti: ele é justo e vitorioso, humilde, montado sobre um jumento, sobre um jumentinho, filho de uma jumenta.

O versículo de Zacarias menciona um “rei montado num jumento, num jumentinho, filho da jumenta”. Ao usar esse paralelismo hebraico, o profeta Zacarias referia-se apenas a um único animal. Mateus equivocou-se nessa fonte e no uso que ela faz daquela convenção literária. Sua inclusão e sua interpretação um tanto literal do texto de Zacarias fazem parte de sua ênfase sobre Jesus como aquele que faz com que se cumpra a lei e os profetas. Com isso Mateus, de maneira implausível e até cômica, faz Jesus montar tanto sobre o jumentinho e como sobre a jumenta!

Mateus 21:7 – trouxeram a jumenta e o jumentinho. Então, puseram em cima deles as suas vestes, e sobre elas Jesus montou.

É inconcebível que Mateus sendo um judeu da palestina desconhecesse o paralelismo hebraico das escrituras hebraicas. Ao mencionar dois animais em que Jesus entrou montado em Jerusalém, fica claro que o escritor ou o futuro redator do evangelho de Mateus não era um judeu da palestina, e sim um judeu helenizado ou de Alexandria no Egito ou da Ásia menor, judeu esses que usavam uma tradução das escrituras hebraicas chamada septuaginta, feita entre 200 a. C. Para os judeus da diáspora que não falavam mais o hebraico. Porém nesta tradução existem centenas de erros e diferenças gritantes das escrituras hebraicas usada pelos judeus da palestina. E este é apenas um dos exemplos desta tradução grega.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 31
19) Descendência de Jesus

Segundo Mateus Mateus 1:1 livro da genealogia de Jesus cristo, filho de Davi, filho de Abraão.

Segundo João João 7:41 outros diziam: ele é o cristo; outros, porém, perguntavam: porventura, o cristo virá da Galiléia? 42 não diz a escritura que o cristo vem da descendência de Davi e da aldeia de Belém, donde era Davi? 43 assim, houve uma dissensão entre o povo por causa dele;
Apocalipse 22:16 eu, Jesus , enviei o meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a brilhante estrela da manhã.

Segundo Lucas Lucas 1:36 Isabel, tua prima, também ela concebeu um filho na sua velhice, e já está no sexto mês aquela que era chamada estéril; Atos 2:29 irmãos, seja-me permitido dizer-vos claramente a respeito do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e o seu túmulo permanece entre nós até hoje. 30 sendo, pois, profeta e sabendo que Deus lhe havia jurado que um dos seus descendentes se assentaria no seu trono, 31 prevendo isto, referiu-se à ressurreição de cristo, que nem foi deixado na morte, nem o seu corpo experimentou corrupção.
Atos 13:22 e, tendo tirado a este, levantou-lhes o rei Davi, do qual também, dando testemunho, disse: achei Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda a minha vontade. 23 da descendência deste, conforme a promessa, trouxe Deus a Israel o salvador, que é Jesus , Segundo Paulo Romanos 1:3 com respeito a seu filho, o qual, segundo a carne, veio da descendência de Davi

Todos os testemunhos acima dizem que Jesus era descendente segundo a carne, ou seja, descendente físico do rei Davi. A pergunta que eu deixo aqui é terrível: Maria era descente de Levi como mostra o evangelho de Lucas, se Jesus era descendente de Davi segundo a carne ele era filho de quem? Do Espírito Santo? Ou de José que era descendente de Davi? Tem alguma coisa errada e muito séria no relato do nascimento virginal de Jesus. O que será?

A unção do rei de Israel Yeshua haMashiach = Jesus o Cristo = Jesus o Messias = Jesus o ungido

II Samuel 4: 12 quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti a tua semente, que sair das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. 13 este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino para sempre. 14 eu lhe serei por pai, e ele me será por filho: e, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens. 15 mas a minha benignidade se não apartará dele; como a tirei de Saul, a quem tirei de diante de ti.16 porém a tua casa e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti: teu trono será firme para sempre.

Quando o rei de Judá tomava posse do trono, se tornava filho de Deus por adoção. A partir desta profecia de nata, Davi e sua dinastia tornaram-se portadores de uma promessa divina incondicional. Com base nessa promessa, os profetas e salmistas orientaram a esperança de Israel para o futuro. Os temas que mais se destacam na expressão dessa esperança são a estabilidade das dinastia de Davi, a filiação divina do rei, a sua entronização à direita de Deus e o seu domínio universal.

Salmos 2:7 proclamarei o decreto do senhor: ele me disse: tu és meu filho, eu, hoje, te gerei.

O salmo 2 era usado para ungir e dar posse ao novo rei de Israel na cerimônia de coroação, onde o rei se tornava filho de Deus conforme texto acima de II Samuel 7:14, onde Deus faz uma promessa a Davi e a sua posteridade.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 32
Mudança no texto de Lucas Bíblia de Jerusalém Lucas 3: 22 e o espírito santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: “ tu és meu filho amado, eu, hoje, te gerei! ”.
Lucas 3.22: ”tu és meu filho, hoje eu te gerei”, ou, ” tu és meu filho amado, em quem me comprazo”. Nos melhores manuscritos o texto diz:
… “tu és meu filho, hoje eu te gerei”.
Tal mudança ocorreu para refutar os defensores adocionistas, ou seja, os ebionitas, que defendiam que Jesus foi adotado na ocasião do batismo. E a maioria das traduções modernas mantêm a forma errada ainda hoje. Repare nos cinco versículos como testemunhos do texto original que Jesus ouviu ao ser batizado:
Salmos 2:7 proclamarei o decreto do senhor: ele me disse: tu és meu filho, eu, hoje, te gerei. Atos 13:33 como Deus a cumpriu plenamente a nós, seus filhos, ressuscitando a Jesus , como também está escrito no salmo segundo: tu és meu filho, eu, hoje, te gerei. Hebreus 1:5 pois a qual dos anjos disse jamais: tu és meu filho, eu hoje te gerei? E outra vez: eu lhe serei pai, e ele me será filho? Hebreus 5:5 assim, também cristo a si mesmo não se glorificou para se tornar sumo sacerdote, mas o glorificou aquele que lhe disse: tu és meu filho, eu hoje te gerei; Bíblia de Jerusalén Lucas 3: 22 e o espírito santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e ouviu-se uma voz do céu, que dizia: “ tu és meu filho amado, eu, hoje, te gerei! ”.

Não resta duvidas que os evangelhos de Mateus e Marcos foram mexidos e mudaram a sentença original. Mas, por que fariam isto? Qual o motivo para tal mudança no texto? Por que esta declaração incomodaria tanto?

A resposta é simples. Esta declaração e este salmo 2 era recitado no momento da unção de um rei em Israel, e a partir da unção como rei de Israel o rei se tornava filho de Deus, nascido naquele momento “tu és meu filho, eu hoje te gerei .”

Tal ato e tal pronunciamento a respeito de Jesus era como uma unção real, Jesus naquele momento estava se tornando o rei de Israel, o messias, o rebento de Davi, o filho de Davi, o herdeiro real e legitimo ao trono de Davi seu pai. Ao ser declarado rei de Israel isto incomodava muito, principalmente o império romano que governava a Judéia através do governador Pôncio Pilatos e de Herodes que era rei de Israel e nem judeu era.

Jesus o Cristo = Jesus o ungido somente três categorias de pessoas recebiam esta unção e estes eram:  O rei de Israel  O sumo sacerdote  E os profetas

Jesus era descendente direto de Davi, assim ele era o rei de Israel. Ao se ungir o rei de Israel ou Judá se recitava este salmo com estes dizeres:

“tu és meu filho, eu hoje, te gerei”.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 33
20) Jesus aboliu a torah (a lei)?

Traduções de João Ferreira de Almeida II Corintios 3: 14 (do) mas os seus sentidos foram endurecidos: porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por cristo abolido;

II Corintios 3: 14 (rc) mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por cristo abolido.

II Corintios 3: 14 (ntlh) mas eles não queriam compreender e, até hoje, quando eles lêem os livros da antiga aliança, a mente deles está coberta com o mesmo véu. E esse véu só é tirado quando a pessoa se une com cristo.

II Corintios 3: 14 (ra) mas os sentidos deles se embotaram. Pois até ao dia de hoje, quando fazem a leitura da antiga aliança, o mesmo véu permanece, não lhes sendo revelado que, em cristo, é removido.

II Corintios 3: 14 (tb) mas as suas mentes foram endurecidas. Pois até o dia de hoje, na leitura da antiga aliança, permanece o mesmo véu, não lhes sendo revelado que em cristo é ele tirado.

Problema de tradução ou foi o manuscrito grego utilizado para a tradução? No evangelho de Mateus capitulo 5, Jesus diz que não veio abolir a lei mas dar-lhe um sentido mais pleno, e que a lei durará enquanto o céu e a terra existirem e não passará um jota ou um til da lei enquanto todas as coisas existirem. Conforme tradução da bíblia na linguagem de hoje:

Ntlh – Mateus 5: 17 não pensem que eu vim para acabar com a lei de Moisés ou com os ensinamentos dos profetas. Não vim para acabar com eles, mas para dar o seu sentido completo. 18 eu afirmo a vocês que isto é verdade: enquanto o céu e a terra durarem, nada será tirado da lei—nem a menor letra, nem qualquer acento. E assim será até o fim de todas as coisas.

Seguindo as traduções que falam que Paulo disse que Jesus aboliu a lei, ao fazer isto Paulo chamou Jesus de mentiroso, pois se o próprio Jesus disse que não veio abolir a lei, e agora Paulo fala totalmente o contrario. E então é Paulo um mentiroso, ou o mentiroso é Jesus? Se assim fosse, neste caso eu seguiria as palavras de Jesus, pois foi ele quem morreu por mim e não Paulo, assim sendo se fosse verdade isto eu ficaria com as palavras de Jesus.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 34
21) Jesus e o uso das Parábolas

MARCOS 4: 1 Voltou Jesus a ensinar à beira-mar. E reuniu-se numerosa multidão a ele, de modo que entrou num barco, onde se assentou, afastando-se da praia. E todo o povo estava à beira-mar, na praia. 2 Assim, lhes ensinava muitas coisas por parábolas, no decorrer do seu doutrinamento. 3 Ouvi: Eis que saiu o semeador a semear. 4 E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho, e vieram as aves e a comeram. 5 Outra caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca, e logo nasceu, visto não ser profunda a terra. 6 Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se. 7 Outra parte caiu entre os espinhos; e os espinhos cresceram e a sufocaram, e não deu fruto. 8 Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto, que vingou e cresceu, produzindo a trinta, a sessenta e a cem por um. 9 E acrescentou: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. 10 Quando Jesus ficou só, os que estavam junto dele com os doze o interrogaram a respeito das parábolas.

11 Ele lhes respondeu: A vós outros vos é dado conhecer o mistério do reino de Deus; mas, aos de fora, tudo se ensina por meio de parábolas, 12 para que, vendo, vejam e não percebam; e, ouvindo, ouçam e não entendam; para que não venham a converter-se, e haja perdão para eles.

13 Então, lhes perguntou: Não entendeis esta parábola e como compreendereis todas as parábolas? 14 O semeador semeia a palavra. 15 São estes os da beira do caminho, onde a palavra é semeada; e, enquanto a ouvem, logo vem Satanás e tira a palavra semeada neles. 16 Semelhantemente, são estes os semeados em solo rochoso, os quais, ouvindo a palavra, logo a recebem com alegria. 17 Mas eles não têm raiz em si mesmos, sendo, antes, de pouca duração; em lhes chegando a angústia ou a perseguição por causa da palavra, logo se escandalizam. 18 Os outros, os semeados entre os espinhos, são os que ouvem a palavra, 19 mas os cuidados do mundo, a fascinação da riqueza e as demais ambições, concorrendo, sufocam a palavra, ficando ela infrutífera. 20 Os que foram semeados em boa terra são aqueles que ouvem a palavra e a recebem, frutificando a trinta, a sessenta e a cem por um. 21 Também lhes disse: Vem, porventura, a candeia para ser posta debaixo do alqueire ou da cama? Não vem, antes, para ser colocada no velador? 22 Pois nada está oculto, senão para ser manifesto; e nada se faz escondido, senão para ser revelado. 23 Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça. 24 Então, lhes disse: Atentai no que ouvis. Com a medida com que tiverdes medido vos medirão também, e ainda se vos acrescentará. 25 Pois ao que tem se lhe dará; e, ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. 26 Disse ainda: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse a semente à terra; 27 depois, dormisse e se levantasse, de noite e de dia, e a semente germinasse e crescesse, não sabendo ele como. 28 A terra por si mesma frutifica: primeiro a erva, depois, a espiga, e, por fim, o grão cheio na espiga. 29 E, quando o fruto já está maduro, logo se lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa. 30 Disse mais: A que assemelharemos o reino de Deus? Ou com que parábola o apresentaremos? 31 É como um grão de mostarda, que, quando semeado, é a menor de todas as sementes sobre a terra; 32 mas, uma vez semeada, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças e deita grandes ramos, a ponto de as aves do céu poderem aninhar-se à sua sombra. 33 E com muitas parábolas semelhantes lhes expunha a palavra, conforme o permitia a capacidade dos ouvintes.

34 E sem parábolas não lhes falava; tudo, porém, explicava em particular aos seus próprios discípulos.

Vamos raciocinar juntos, se Jesus dizia tudo em parábolas para dificultar o entendimento das pessoas que o seguiam, levando em consideração que, os seguidores de Jesus eram em sua maioria esmagadora pessoas pobres da Galiléia, pessoas que viviam no campo, que viviam da terra e do que ela produzia. Então a intenção de Jesus era dificultar a vida destas pessoas do campo contando parábolas sobre sementes, semeador, grão de mostarda, plantas, e etc? Bom, sejamos justos e honestos com nós mesmos, se Jesus fez desta forma, falava por parábolas para as pessoas simples do campo não entenderem, ele mesmo Jesus seria o culpado por estas pessoas não o aceitarem como Messias, e logo se eles não entenderam não existe culpabilidade na ignorância…. Mas, aos de fora, tudo se ensina por meio de parábolas, 12 para que, vendo, vejam e não percebam; e, ouvindo, ouçam e não entendam; para que não venham a converter-se, e haja perdão para eles. Gostaria de lembrar outra coisa, as promessas da vinda do Messias seria precedida pela vinda do profeta Elias que converteria o coração dos pais aos filhos de Israel, ou seja, o caminho já estaria preparado, com um grande numero do povo JUDEU já retornando para Deus através do arrependimento. E como pode o próprio Messias que viria para livrar e libertar o seu povo os JUDEUS, agora condena-los dizendo que para eles não haveria perdão. E outra coisa cabe aqui comentar, leia o versículo 10: 10 – Quando Jesus ficou só, os que estavam junto dele com os doze o interrogaram a respeito das parábolas. O circulo de discípulos íntimos de Jesus eram os 12 e mais alguns pelo que dá para entender e extrair do texto. Ora esse Messias era muito egoísta, pois ele queria que somente apenas alguns poucos homens sendo eles um pouco mais de 12 homens entendessem o que ele pregava e ensinava? Uma outra coisa que é bom comentar é o objetivo de se usar parábolas por Jesus. Jesus usava parábolas para facilitar o entendimento das pessoas simples que o seguiam e o ouviam como o próprio texto no versículo 33 fala literalmente: 33 E com muitas parábolas semelhantes lhes expunha a palavra, conforme o permitia a capacidade dos ouvintes. Os seguidores de Jesus como em sua maioria eram galileus, pessoas que viviam do campo e da terra, Jesus usava parábolas simples sobre sementes, semeador, plantas, dono da vinha, grão de mostarda, enfim ele usava deste expediente para facilitar e não dificultar. A grande verdade é que mexeram neste trecho do evangelho de Marcos para dizer que os JUDEUS não tinham oportunidade de perdão,e assim justificar as barbaridades que o Império Romano e depois o Império Cristão seu sucessor impetraram aos judeus.
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 35
22) Alterações para colocar Jesus igual a Deus – I A imagem e semelhança de Deus ou sendo Deus? Felipenses 2:6 6 (ntlh) ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. 6 (ra) pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; 6 (rc) que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. 6 (tb) o qual, subsistindo em forma de Deus, não julgou que o ser igual a Deus fosse coisa de que não devesse abrir mão,

Ntlh Felipenses 2:6 ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus. 7 pelo contrário, ele abriu mão de tudo o que era seu e tomou a natureza de servo, tornando-se assim igual aos seres humanos. E, vivendo a vida comum de um ser humano, 8 ele foi humilde e obedeceu a Deus até a morte—morte de cruz. 9 por isso Deus deu a Jesus a mais alta honra e pôs nele o nome que é o mais importante de todos os nomes, 10 para que, em homenagem ao nome de Jesus , todas as criaturas no céu, na terra e no mundo dos mortos, caiam de joelhos 11 e declarem abertamente que Jesus Cristo é o senhor, para a glória de Deus, o pai.

A bíblia de Jerusalém em sua nota de rodapé diz: Na LXX, ou seja na septuaginta, a palavra “ morfh – morphe = forma “ é usada intercambialmente como imagem e semelhança que é predicado de Adão conforme Gênesis 1:27, I Corintios 11:7 e predicado de Jesus conforme II Corintios 4:4: Gênesis 1: 27 criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

I Corintios 11:7 porque, na verdade, o homem não deve cobrir {cobrir; no original, velar} a cabeça, por ser ele imagem e glória de Deus, mas a mulher é glória do homem.

II Corintios 4:4 nos quais o Deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de cristo, o qual é a imagem de Deus.

É interessante ver que a mesma palavra no velho testamento traduzido do hebraico para o grego, ou seja, a septuaginta a bíblia grega de 200 ªc. Nela a palavra morphe é usada para “imagem e semelhança” quando Deus criou o homem, e Paulo usa a mesma palavra na carta aos Felipenses “morphe” para indicar que Jesus é o segundo adão, feito a imagem e semelhança de Deus, porém, com uma grande diferença, o primeiro adão usurpou ser igual a Deus quando lhe foi dito:

Genesis 3:5 porque Deus sabe que no dia em que comerdes do fruto, abrir-se-vos-ão os olhos, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal.

NVI – Felipenses 2:6 – que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se.

Muitas traduções têm colocado Jesus como usurpador, igual ao primeiro adão, que usurpou o ser igual a Deus querendo assim roubar a glória do Deus pai, e isso não é verdade Jesus foi em tudo fiel e obediente e submisso até a morte. E antes de morrer ele até disse: “ que seja feita a tua vontade e não a minha”. Que vontade é essa? A vontade do pai, que ele tanto conhecia e veio fazer essa vontade conhecida.

Dicionário hebraico da palavra “imagem” e sua equivalente em grego e seus sinônimos também:

Tselem = imagem

Gênesis 1: 26 (tb) disse também Deus: façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança: domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todo o réptil que se arrasta sobre a terra.

26 (lxx) kai eipen o yeov poihswmen anyrwpon kat eikona hmeteran kai kay omoiwsin kai arcetwsan twn icyuwn thv yalasshv kai twn peteinwn tou ouranou kai twn kthnwn kai pashv thv ghv kai pantwn twn erpetwn twn erpontwn epi thv ghv

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 36
Felipenses 2: 6 (tischdrf) ov en morfh yeou uparcwn ouc arpagmon hghsato to einai isa yew

Tselem em hebraico = Imagem , Imagem, semelhança

Tselem e sua variantes em grego: Tselem Eidolon Tselem Eikona Tselem Morphe Tselem Homoioma Tselem Opsis Tselem Tupos

A seguir temos as 6 variações da palavra tselem no grego, vejamos: Tselem / eidolon Eidolon = imagem, réplica. Tselem / eikona Eikona = imagem, figura, semelhança. Tselem / morphe Morphe = a forma pela qual uma pessoa ou coisa é percebida pela visão, aparência externa. Tselem / homoioma Homoioma = aquilo que foi feito a semelhança de algo, figura, imagem, semelhança, representação. Tselem / opsis Opsis = aparência externa, expressão, aspecto Tselem / tupos Tupos = figura formada por um golpe ou impressão de uma figura ou imagem.

Texto de versões gregas do VT Genesis 1: 26 (LXX) kai eipen o yeov poihswmen anyrwpon kat eikona hmeteran kai kay omoiwsin kai arcetwsan twn icyuwn thv yalasshv kai twn peteinwn tou ouranou kai twn kthnwn kai pashv thv ghv kai pantwn twn erpetwn twn erpontwn epi thv ghv

Genesis 1: 26 (LXXM) kai eipen o yeov poihswmen anyrwpon kat eikona hmeteran kai kay omoiwsin kai arcetwsan twn icyuwn thv yalasshv kai twn peteinwn tou ouranou kai twn kthnwn kai pashv thv ghv kai pantwn twn erpetwn twn erpontwn epi thv ghv

Texto de versões gregas do NT Felipenses 2: 6 (tischdrf) ov en morfh yeou uparcwn ouc arpagmon hghsato to einai isa yew. 6 (ignt) ov en morfh yeou uparcwn ouc arpagmon hghsato to einai isa yew. 6 (wh) ov en morfh yeou uparcwn ouc arpagmon hghsato to einai isa yew. 6 (tr) ov en morfh yeou uparcwn ouc arpagmon hghsato to einai isa yew

Termo usado na bíblia para imagem em Hebraico no velho testamento Tselem = imagem

Termo usado na bíblia para imagem em Grego no novo testamento: Eikona = imagem Einai = imagem Eikon = imagem

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 37
Observe que os termos usados para imagem no livro de Gênesis 1:26 tanto nas duas versões do velho testamento da septuaginta, ou seja, da bíblia em grego feita cerca de 200 anos antes de cristo, é igual aos termos usados no novo testamento em Felipenses 2:6 para imagem. Que infelizmente muitas versões usam em vez de “imagem” as palavras “que sendo Deus” . Infelizmente esta mudança muda todo o contexto e coloca Jesus como um usurpador que quis ser Deus.

23) Alterações para colocar Jesus igual a Deus – II Tito 2:13 aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e salvador Cristo Jesus,
Infelizmente as traduções brasileiras mantêm este versículo adulterado dando a entender que Deus e Jesus são a mesma pessoa, porém as traduções abaixo americanas e em língua inglesa corrigem o erro:
Phil translation Tito 2:13 and while we live this life we hope and wait for the glorious denouement of the great God and of Christ Jesus our Saviour.

Webster translation Tito 2:13 looking for that blessed hope, and the glorious appearing of the great god and our saviour Jesus christ; {glorious…: gr. The appearance of the glory of the great god, and of our saviour Jesus christ}

Outra versões em inglês e grego que corrigem o versículo: Rsv, Neb e Nestle Aland Greek –English New Testament entre outras. Traduzindo o versículo corretamente: Tito 2:13 aguardando a nossa bendita esperança, a manifestação da glória do grande Deus e do nosso salvador Jesus o Messias .

Este é mais um caso entre muitos outros que tradutores mal intencionados, ou às vezes, usando manuscritos tardios dos séculos X, XI e XII em diante encheram nossas bíblias de erros teológicos igualando Jesus à Deus, assim fica até difícil orar, têm pessoas que já não oram nem mais ao Deus Eterno Adonai Elohênu, oram a Jesus em nome do próprio Jesus, virou uma verdadeira bagunça, Jesus virou um usurpador na maioria das bíblias e difundido na mente dos crentes por aí a fora. Segundo esta teologia que infelizmente ainda insiste a ensinar estas aberrações, Jesus ficou pior que satanás que quis tomar o lugar de Deus e se rebelou no céu contra o criador e foi expulso do reino celestial e lançado na terra, e aqui na terra ensinou e tentou a mulher que se ela comesse do fruto da arvore do bem e do mal, ela e o homem seriam iguais a Deus. Como vimos quem é usurpador e se rebelou contra Deus e quis tomar o lugar de Deus foi satanás e não Jesus o Messias. O desserviço que certas igrejas e cursos de teologia prestam aos cristãos são uma tragédia lamentável, criam mais confusão que ensinam.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 38
24) A respeito de cobrir a cabeça Versões em grego: I Corintios 11:4 –              

Versôes em português : I Corintios 11:4 4 (ntlh) se um homem cobre a cabeça quando ora ou anuncia a mensagem de Deus nas reuniões de adoração, ele está ofendendo a honra de cristo. 4 (ra) todo homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça. 4 (rc) todo homem que ora ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua própria cabeça. 4 (tb) todo o homem quando ora, ou profetiza, tendo a cabeça coberta, desonra a sua cabeça. 4 (bíblia de Jerusalém) todo homem que ora ou profetiza de cabelos longos, desonra sua cabeça.

Dicionário bíblia on line da sbb:  = kata = Partícula primária; preposição , Abaixo de, por toda parte, de acordo com, com respeito a, ao longo de…

1-  = todo = Individualmente , Cada, todo, algum, tudo, o todo, qualquer um, todas as coisas, qualquer coisa Coletivamente , Algo de todos os tipos 2-  = homem = a) homem b) marido c) noivo ou futuro marido 3-= que ora = oferecer orações, orar 4 - = ou = Partícula primária de distinção entre dois termos conectados; ; partícula , Ou … Ou, que 5-  = profetiza = Profetizar, ser um profeta, proclamar por inspirações divinas, predizer profetizar 6-  = comprido, longo, Partícula primária; ; preposição, Abaixo de, por toda parte , De acordo com, com respeito a, Ao longo de 7-  = cabeça, cabelo, cabeça, de seres humanos e freqüentemente de animais. Como a perda da cabeça destrói a vida, esta palavra é usada em frases relacionadas com a pena capital e extrema. 8-  = tem= 1) ter, i.e. Segurar , 2) ter, i.e., possuir 9-  = envergonhado= 1) desonrar, humilhar , 2) envergonhar, tornar envergonhado 10-  = a , Que inclue o feminino h he, e o neutro to to , Em todos as suas inflexões, o artigo definido; ; artigo , 1) este, aquela, estes, etc. , Exceto “o” ou “a”, apenas casos especiais são levados em consideração. 11-  = cabeça, 1) cabeça, de seres humanos e freqüentemente de animais. Como a perda da cabeça destrói a vida, esta palavra é usada em frases relacionadas com a pena capital e extrema. 12-  = dele mesmo, dele próprio, de si mesmo. Da partícula au [talvez semelhante a raiz de 109 pela idéia de um vento instável] (para trás); ; pron , 1) ele próprio, ela mesma, eles mesmos, de si mesmo

Tradução correta: 4 (bíblia de Jerusalém) todo homem que ora ou profetiza de cabelos longos, desonra sua cabeça.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 39
A CONSPIRAÇÃO DE INÁCIO: A ORIGEM DO CRISTIANISMO

Muitos se enganam em pensar que Constantino foi o principal responsável pela corrupção e gentilização do Cristianismo. Apesar de Constantino ter certamente acrescentado e consolidado a apostasia do Cristianismo primitivo, ele não foi o primeiro. Foi na realidade Inácio de Antioquia que se rebelou contra o Concílio de Jerusalém, usurpou sua autoridade, segregou-se do Judaismo, declarou que a Torá havia sido abolida, substituiu o Shabat do sétimo dia pela adoração no domingo e fundou uma nova religião nãojudaica, a qual ele chamou de “Cristianismo.”

O ALERTA DE PAULO ACERCA DOS BISPOS Paulo disse aos efésios em sua última visita a eles: “Cuidai pois de suas almas e de todo o rebanho sobre o qual a Ruach HaKodesh vos constituiu supervisores, para apascentardes a Kehilá de Elohim, que Ele adquiriu com seu próprio sangue. Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não terão pena do rebanho, e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para desviar os talmidim, para que os sigam.” (Atos 20:28-30)

Paulo parece indicar que após sua morte, líderes começariam a se levantar dentre os supervisores [bispos] em seu lugar, e levariam pessoas a os seguirem e a se afastarem da Torá. Na realidade, Paulo morreu em 66 DC e o primeiro supervisor (bispo) de Antioquia a tomar o cargo após a sua morte foi Inácio, em 98 DC. Inácio cumpriu com precisão as palavras de Paulo. Depois de tomar o cargo de bispo sobre Antioquia, Inácio enviou uma série de epístolas a outras congregações. Suas cartas aos efésios, magnésios, trálios, romanos, filadelfos, e esmirnos, bem como sua carta pessoal a Policarpo, todas sobrevivem até hoje.

HEGÉSIPO RECONTA A APOSTASIA O historiador e comentador nazareno antigo Hegésipo (cerca de 180DC) escreve acerca do tempo imediatamente após a morte de Shimon (Simão), o qual havia sucedido a Ya’akov HaTsadik (Tiago, o Justo) como Nassi (“Presidente”) do Sanhedrin Nazareno, e que morreu em 98 DC: “Até aquele período (98 DC), a Assembléia havia permanecido como uma virgem pura e incorrompida: pois, se havia quaisquer pessoas dispostas a alterar a regra completa da proclamação da salvação, elas ainda vagavam em um lugar obscuro oculto ou outro. Mas, quando obando sagrado de Emissários havia de várias formas findado suas vidas, e a geração dos homenshavia sido confiado ouvir à Sabedoria inspirada com seus próprios ouvidos passou, então a confederação do erro da iniquidade tomou ascenção através da infidelidade dos falsos mestres que,vendo que nenhum dos emissários ainda sobrevivia, levantaram suas cabeças para se opor àproclamação da verdade, proclamando algo falsamente chamado de conhecimento.” (Hegésipo, o Nazareno; cerca de 98 DC; citado por Eusébio em Hist. Ecl. 3:32)

Hegésipo indica que a apostasia começou no mesmo ano que Inácio se tornou bispo de Antioquia!

INÁCIO SEPARA-SE DO CONCÍLIO DE JERUSALÉM Até o tempo de Inácio, qualquer disputa que surgisse em Antioquia por fim era levada ao Concílio de Jerusalém (tal como em Atos 14:26-15:2). Inácio usurpou a autoridade do Concílio de Jerusalém, declarando a si mesmo, o bispo local, como sendo a autoridade final sobre a assembléia que o havia feito bispo, e semelhantemente declarando isto ser verdade acerca de todos os outros bispos e suas assembléias locais. Inácio escreve:

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 40
“…sujeitando-se ao seu bispo… …andem juntos conforme a vontade de D-us. Jesus… é enviado pela vontade do Pai; Assim como os bispos… são [enviados] pela vontade de Jesus Cristo.”] (Carta de Inácio aos Ef. 1:9,11)

“…seu bispo… penso que felizes são vocês que se unem a ele, assim como a igreja o é a Jesus Cristo e Jesus Cristo o é ao Pai… Vamos portanto cuidar para que não nos coloquemos contra o bispo,

para que nos sujeitemos a D-us. Devemos olhar para o bispo tal como olharíamos para o próprio S-nhor.” (Carta de Inácio aos Ef. 2:1-4)

“…obedeça ao seu bispo…” (Carta de Inácio aos Mag. 1:7)

“Seu bispo está presidindo no lugar de D-us… …unam-se ao seu bispo…” (Carta de Inácio aos Mag. 2:5,7)

“…aquele…que faz qualquer coisa sem o bispo… não é puro em sua consciência…” (Carta de Inácio aos Tral. 2:5)

“…Não faça nada sem o bispo.” (Carta de Inácio aos Fil. 2:14)

“Cuidem para que vocês sigam o seu bispo, Assim como Jesus Cristo ao Pai…” (Carta de Inácio aos Esm. 3:1)

Ao exaltar o poder do ofício do bispo (supervisor) e exigir a absoluta autoridade do bispo sobre a assembléia, Inácio estava na realidade fazendo uma jogada para obter o poder, tomando a autoridade absoluta sobre a assembléia de Antioquia e encorajando outros supervisores não-judeus a fazerem o mesmo.

INÁCIO DECLARA QUE A TORÁ FOI ABOLIDA Além disso, Inácio afastou os homens da Torá e declarou que a Torá havia sido abolida, não somente em Antioquia, mas em todas as assembléias de não-judeus para as quais escreveu:

“Não sejam enganados por doutrinas estranhas; nem por fábulas antigas sem valor. Pois se continuarmos a viver conforme a Lei Judaica, estamos confessando que não recebemos a graça…” (Carta de Inácio aos Mag. 3:1)

“Mas se alguém pregar a Lei Judaica a vocês, não lhe dêem ouvidos…” (Carta de Inácio aos Fil. 2:6)

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 41
INÁCIO SUBSTITUI O SHABAT PELA ADORAÇÃO DOMINICAL

Foi Inácio quem primeiro substituiu o Shabat do sétimo dia pela adoração dominical, escrevendo: “…não mais observem os Shabatot, mas observem o dia do Senhor, no qual também a nossa vida floresce nEle, através da Sua morte…” (Carta de Inácio aos Mag. 3:3)

INÁCIO DÁ UM NOME À SUA NOVA RELIGIÃO

Tendo usurpado a autoridade de Jerusalém, declarado a Torá abolida, e substituído o Shabat pelo domingo, Inácio criou uma nova religião. Inácio então cunha um novo termo, nunca antes utilizado, para essa nova religião que ele chama de “Cristianismo”, a qual ele mesmo deixa claro que é distinta do Judaísmo. Ele escreve:

“vamos portanto aprender a viver conforme as regras do Cristianismo, pois quem quer que seja chamado por qualquer outro nome além desse, esse não é de D-us… “É absurdo nomear Jesus Cristo e Judaizar. Pois a religião cristã não abraçou a judaica. Mas a judaica [abraçou] a cristã…” (Carta de Inácio aos Mag. 3:8,11)

CONCLUSÃO Ao final do primeiro século, Inácio de Antioquia havia cumprido o alerta de Paulo. Ele abandonou o Judaísmo e fundou uma nova religião a qual chamou de “Cristianismo.” Uma religião que rejeitou a Torá, e substituiu o Shabat do sétimo dia pela adoração dominical.

25) Conclusão: Gostaria de concluir este estudo sobre as alterações que as escrituras e principalmente o Novo Testamento sofreram ao longo dos séculos alterações estas que iniciaram já desde os primórdios do inicio da Seita dos do Caminho e Nazarenos que depois passaram a serem chamados no mundo grego de cristãos, citando alguns autores históricos:
Eusébio de Cesáreia ano 325 + ou – O mesmo autor, a respeito dos acontecimentos da época, também diz que a igreja continuava até então pura e incorrupta como uma virgem, pois havendo algum que atentasse perverter a sã doutrina do evangelho da salvação, estavam ocultos em esconderijos escuros; mas quando o grupo sagrado dos apóstolos se extinguiu e a geração dos que tinham tido do privilégio de ouvir sua sabedoria inspirada passou, também surgiram as maquinações dos erros ímpios pela fraude e pelo engano dos falsos mestres. Também esses, não tendo restado nenhum dos apóstolos, atentavam pregar abertamente sua falsa doutrina contra o evangelho da verdade. Tal a declaração de Hegésipo. História Eclesiástica- Eusébio de Cesárea- Livro 3 capitulo 32.
O testemunho de Hegésipo que viveu no primeiro século da era cristã registrado pelo Bispo e historiador Eusébio de Cesáreia em seu livro História Eclesiástica nos dá informações importantíssimas para reconstruirmos a verdade, tanto quanto mais próxima da realidade histórica. A respeito da morte de Simão, que Eusébio afirmava ser primo de Jesus, o próprio Hegésipo de quem Eusébio usou as fontes históricas afirmava ser ele irmão de Jesus. Bem como você deve ter percebido a liderança da comunidade nazarena ou os do Caminho ou ainda os ebionitas que quer dizer os pobres, que bem depois passou a ser conhecida como os cristãos, era exercida pela família de Jesus. Segundo este estudo podemos perceber que os primeiros lideres da assim hoje chamada igreja foram: 1. Jesus chamado de Messias 2. Tiago irmão de Jesus
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 42

  1. Simão irmão de Jesus 4. Judas irmão de Jesus 5. José irmão de Jesus 6. Os Sobrinhos de Jesus E todos sem exceção foram perseguidos tanto pela família de Kaifás e Anás que participaram do complô que resultou na morte de Jesus e depois Anano da mesma família foi responsável pela morte de Tiago, quanto pelo império romano e seus imperadores que queriam acabar com os descendentes da família de Davi. O motivo já foi dito aqui que era não deixar nenhum herdeiro legitimo ao trono do reino de Israel e consequentemente acabar com as expectativas messiânicas do povo judeu, que um dia surgiria um descendente de Davi que restabeleceria o Reino de Israel e os libertaria do jugo inimigo, em outras palavras, o império romano queria acabar com o mal pela raiz, exterminando a família de Davi, no caso aqui a família de Jesus. É importante também notar que enquanto a família de Jesus e os apóstolos comandaram a comunidade nazarena de Jerusalém e estavam vivos a comunidade manteve-se integra, pura, sem se desviar do seu objetivo e ensino inicial, porém logo na terceira e quarta geração subseqüente a coisa já descambou segundo testemunhos históricos que vão do século I ao século IV.

Jerônimo de Belém e Cesáreia ano 342 a 420 “De velha obra me obrigais a fazer obra nova. Quereis que, de alguma sorte, me coloque como árbitro entre os exemplares das Escrituras que estão dispersos por todo o mundo, e, como diferem entre si, que eu distinga os que estão de acordo com o verdadeiro texto grego. É um piedoso trabalho, mas também um perigoso arrojo, da parte de quem deve ser por todos julgados, julgar ele mesmo os outros, querer mudar a língua de um velho e conduzir à infância o mundo já envelhecido. Qual, de fato, o sábio e mesmo o ignorante que, desde que tiver nas mãos um exemplar novo, depois de o haver percorrido apenas uma vez, vendo que se acha em desacordo com o que está habituado a ler, não se ponha imediatamente a clamar que eu sou um sacrílego, um falsário, porque terei tido a audácia de acrescentar, substituir, corrigir alguma coisa nos antigos livros?” Obras De São Jerônimo, 1693 Texto extraído do livro de Leon Denis de 1919 pgs. 31-32, eis uma parte desses prefácios enviados ao papa Damaso, referentes aos Evangelhos, nos quais vemos como a Bíblia já começou a ser adulterada praticamente na sua primeira tradução do original para outra língua, o Latim.

Quem foram os primeiros Cristãos? Helena P. Blavatsky indicou claramente a relação de Jesus com os Ebionitas, a esta comunidade pertencendo também grande parte dos seus seguidores e dos seus parentes. Na primeira das suas obras, à pergunta, por ela mesma colocada, “quem eram os primeiros cristãos?”, responde: “Sem dúvida alguma, os ebionitas”. E cita, em seguida, Walter Cassels: “Não há dúvida que o autor [das Homilias Clementinas] era um representante do gnosticismo ebionita, que foi (…) a forma mais pura da cristandade primitiva”.

O testemunho de Melito de Sardes no ano 160 d. C. Parece estranho e indefensável? Quando, em 160, o bispo Melito de Sardes foi até Jerusalém, para entrar em contacto com a primitiva Igreja Cristã de Jerusalém, ficou consternado por não encontrar os descendentes dos Apóstolos a defenderem o Cristianismo literalista – isto é, destituído do seu significado mais profundo, interno, esotérico, como ele era praticado no mundo Greco-Romano, mas, sim, um grupo de Ebionitas (Ebionitas significa, etimologicamente, “Homens Pobres”). Estes cristãos gnósticos tinham o seu próprio “Evangelho dos Ebionitas” e, ainda, um “Evangelho dos Hebreus”, um “Evangelho dos Doze Apóstolos” e um “Evangelho dos Nazarenos”, todos eles muito diferentes dos Evangelhos que, atualmente, constituem o Novo Testamento (e que só nos concílios de Nicéia e Laodicéia, que tiveram lugar, respectivamente, em 325 e 363, foram selecionados de entre incontáveis Evangelhos).

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 43
“Mas estes sectários… não se chamavam de cristãos – mas de ‘nazarenos’… contudo, são simplesmente judeus completos. Eles não só usam o Novo Testamento como também o Antigo Testamento, como o fazem os judeus… Eles não possuem diferentes idéias, mas confessam tudo exatamente como a Torá descreve e na forma judaica – exceto, porém, por sua crença no Messias. Pois eles reconhecem tanto a ressurreição dos mortos quanto a criação divina de todas as coisas, e declaram que Elohim é Um, e que o Seu Filho é Yeshua o Messias. Eles são bem treinados no hebraico. Pois dentre eles a Torá inteira, os Nevi’im (Profetas) e… os Ketuvim (Escritos)… são lidos em hebraico, como certamente o são entre os judeus. Eles são diferentes dos judeus, e diferentes dos cristãos, apenas no seguinte: Eles discordam dos judeus porque chegaram à fé no Messias; mas como eles ainda estão na Torá — circuncisão, o Shabat, e o restante — eles não estão de acordo com os cristãos… eles não são nada mais do que judeus… Eles possuem as Boas Novas de acordo com Matitiyahu completamente em hebraico. Pois está claro que eles ainda preservam-nas no alfabeto hebraico, tal qual foram escritas originalmente.” (Epifânio; Panarion 29)

Comentando o fato, escreveram Timothy Freke e Peter Gandy, num excelente livro recentemente publicado 5: “O propagandista literalista Eusébio explica o fato de se ter verificado que a Igreja de Jerusalém era composta por gnósticos afirmando que eles obviamente tinham todos abjurado? (…) e se tornado heréticos – mas não explica porquê ou como é que isto poderia ter acontecido! Na realidade, os indícios sugerem que os cristãos de Jerusalém tinham sido sempre gnósticos (cabalistas em hebraico)”.

É muito interessante todos os testemunhos citados acima, a começar por Eusébio de Cesárea que cita Hegésipo que era do primeiro século, Hegésipo já testemunhava que a assim chamada igreja, já nos seus primórdios já havia se corrompido da mensagem de Jesus e dos apóstolos e que falsos mestres e profetas já corrompiam a mensagem original, isto é muito grave, depois o testemunho de Jerônimo que foi quem fez a primeira Bíblia Católica a pedido do Papa Damaso, que confessa de próprio punho que teve que: “acrescentar, substituir, corrigir alguma coisa nos antigos livros”, e ele cita ainda que eram muitos os exemplares em circulação no meio cristão e cada um mais diferente do outro. Por fim termino com a citação de Melito de Sardes que vai a Jerusalém em busca das origens da igreja primitiva e lá ele se decepciona ao ver que os cristãos de Jerusalém eram cabalistas, ou seja, judeus místicos, que interpretavam a Torah e as Escrituras judaicas num sentido espiritual e não literal, e tinham seus próprios evangelhos: “tinham o seu próprio “Evangelho dos Ebionitas” e, ainda, um “Evangelho dos Hebreus”, um “Evangelho dos Doze Apóstolos” e um “Evangelho dos Nazarenos”. Onde foram parar tais evangelhos? E a comunidade dos pobres como eles eram chamados desde à época de João batista e Jesus eram hereges? Gostaria de a seguir fornecer uma lista com datas e nomes dos Papas que solicitaram aos seus Bispos alterações nas Escrituras, a lista começa com Jerônimo e vai adiante como veremos a seguir.

26) Alterações feitas a pedidos dos Papas Segundo o escritor e estudioso Leon Denis, “a tradução de Jerônimo”, a Vulgata Latina, foi considerada boa até o ano de 1586. E, não obstante, como vimos acima, o concilio de Trento a ter aprovado, como sendo inspirada pó Deus, o Papa Sisto V, em 1590, ordenou uma nova revisão da Bíblia, pois que a achou insuficiente. Essa edição da Bíblia passou a ter o seu próprio nome. Porém, Clemente VIII, Papa de 1592 a 1605, determinou mais uma revisão dela. A Bíblia que saiu dessa revisão de Clemente VIII tem sido a base para a sua tradução para as diversas línguas. Texto extraído do Livro: A face oculta das religiões

Como você pode ter notado a Bíblia sofreu várias adaptações ao paganismo Greco-Romano ao longo dos séculos que O Império Cristão que substituiu o Império Romano dominou o mundo. Hoje podemos chegar um pouco mais perto, porém não tão perto dos escritos originais, quando adotamos uma versão crítica da Bíblia, ou seja, tipo a Bíblia de Jerusalém que é traduzida de um manuscrito do século IV, para ser mais preciso, um manuscrito do ano 350 d.C. Mas você pode perguntar do ano 350? Não é muito tempo depois dos acontecimentos? Sim, porém é o que tem de melhor por enquanto para quem quer
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 44
estudar e se aprofundar. E outra coisa é melhor você ficar com um manuscrito do século IV do que com um do século XII como é o caso da Bíblia João Ferreira de Almeida.

Relação de versículos com variantes Diferentes, que geram problemas dogmáticos.

a) Divindade de Jesus / Cristo

João 1:18. Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou. / Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer.

Mateus 28:19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; / 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em meu nome .

Atos 20:28. Para pastoreardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue./ como pastores da Igreja de Deus, que ele comprou por meio do sangue do seu próprio Filho.

Felipenses 2:6. Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus. / Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus.

I Timoteo 3:16. God was manifest in the flesh, = Deus foi manifestado na carne / Aquele que foi manifestado na carne

Hebreus 2:9. pela graça de Deus, provasse a morte por todo homem. / para que sem Deus, provasse a morte por todo homem.

I João 5:7-8 7 Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um. 8 E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num. / 7 Pois há três que dão testemunho no céu: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito.

Colossences 1:15 Ele é a Imagem do Deus invisível / Este é o Deus invisível.

Tito 2:13 nosso Deus Salvador Jesus Cristo /do nosso Deus e do nosso Salvador Jesus Cristo.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 45

b) Em relação à Torah 

 Mateus 7:23 Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade. / 23 E, então, lhes direi abertamente: Apartaivos de mim transgressores da Torah. (anomia = transgredir a lei)

 Mateus 13:41 Mandará o Filho do Homem os seus anjos, e eles colherão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os que cometem iniqüidade. / 41 Mandará o Filho do Homem os seus anjos, e eles colherão do seu Reino tudo o que causa escândalo e os transgressores da Torah. (anomia = transgredir a lei)

 2 Tessalonissences 2:3 Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, / 3 Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem que é contra a Torah, o filho da perdição, (anomia = transgredir a lei)

 I João 3:4 Qualquer que comete o pecado também comete iniqüidade, porque o pecado é iniqüidade. / 4 Qualquer que comete o pecado também transgride a Lei, porque o pecado é a transgressão da Lei.

c) Discriminação contra as mulheres:

I Corintios 14: conservem-se as mulheres caladas nas igrejas, porque não lhes é permitido falar; mas estejam submissas como também a lei o determina. 35 Se, porém, querem aprender alguma coisa, interroguem, em casa, a seu próprio marido; porque para a mulher é vergonhoso falar na igreja.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 46

ACRÉSCIMOS LONGOS

Marcos 16:9-20: Acréscimo Longo. Marcos16: 9 Havendo ele ressuscitado de manhã cedo no primeiro dia da semana, apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual expelira sete demônios. 10 E, partindo ela, foi anunciá-lo àqueles que, tendo sido companheiros de Jesus, se achavam tristes e choravam. 11 Estes, ouvindo que ele vivia e que fora visto por ela, não acreditaram. 12 Depois disto, manifestou-se em outra forma a dois deles que estavam de caminho para o campo. 13 E, indo, eles o anunciaram aos demais, mas também a estes dois eles não deram crédito. 14 Finalmente, apareceu Jesus aos onze, quando estavam à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, porque não deram crédito aos que o tinham visto já ressuscitado. 15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. 16 Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. 17 Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; 18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados. 19 De fato, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus. 20 E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam.

João 7:53 – 8:11: Acréscimo Longo. João 7:53 E cada um foi para sua casa. João 8:11 Jesus, entretanto, foi para o monte das Oliveiras. 2 De madrugada, voltou novamente para o templo, e todo o povo ia ter com ele; e, assentado, os ensinava. 3 Os escribas e fariseus trouxeram à sua presença uma mulher surpreendida em adultério e, fazendo-a ficar de pé no meio de todos, 4 disseram a Jesus: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério. 5 E na lei nos mandou Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas; tu, pois, que dizes? 6 Isto diziam eles tentando-o, para terem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia na terra com o dedo. 7 Como insistissem na pergunta, Jesus se levantou e lhes disse: Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra. 8 E, tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão. 9 Mas, ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram-se retirando um por um, a começar pelos mais velhos até aos últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde estava. 10 Erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? 11 Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 47
RELAÇÃO DE VERSÍCULOS ACRESCENTADOS.

 Mateus 6:13 – (pois teu é o reino, o poder e a glória para sempre, Amém.)  Mateus 17:21- (mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum.)  Mateus 23:14. Acréscimo.  Marcos 9:29. Teve Acréscimo.  Marcos 11:26. Acréscimo.  Lucas 9:55. Acrescentaram Coisas.  Lucas 17:36. Acréscimo.  Lucas 22:19-20. Acréscimo.  Lucas 22:43-44. Acréscimo.  Lucas 23:17. Acréscimo.  Lucas 24:12. Acréscimo.  João 5 : 4. Acréscimo.  Atos 8:37. Acréscimo.  Atos 15:34. Acréscimo.  Atos 24: Final Do Versiculo 6 E Todo O 7. Acréscimo  Atos 28:29. Acréscimo.  Romanos 16:24. Acréscimo.  Marcos 9:44, 46 e 48:

Relação de versículos mal traduzidos
Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 48
Nas bíblias em português

 Marcos 1:2. Foi Adulterado.  Marcos 1:11. Foi Adulterado.  Marcos 1:41. Foi Adulterado. Jesus irado.  Lucas 2:33. Adulterado.  Lucas 3: 22. Adulterado.  Lucas 24:51. Adulterado.  João 5:18. Adulterado.  Atos 17:4: Adulterado.  Romanos 14:10-12. Adulterado.  Romanos 16:7. Adulterado.  I Corintios 15:27-28 Adulterado. Todas as coisas exceto o próprio Deus..  2 Pedro 2:4. Adulterado.

Textos que foram acrescentados no Novo Testamento

Eliezer Lucena de Castro 49
Bibliografia:

 O que Jesus disse? O que Jesus não disse? Bart D. Ehrman. Editota Prestigo/Ediouro  Verdades e mentira sobre o chamado Jesus. Aderbal Pacheco. Editora DPL.  A face oculta das religiões. José Reis Chaves. Editota Martin Claret.  O evangelho perdido de “Q” e as origens cristãs. Burton L. mack. Editota Imago.  Ditos primitivos de Jesus. Uma introdução ao ‘proto-evangelho de ditos”Q”. Santiago Guijarro Oporto.  As várias faces de Jesus. Geza Vermes. Editora Record.  A paixão. Geza Vermes. Editora Record.  Natividade. Geza Vermes. Editora Record.  Quem é quem na época de Jesus. Geza Vermes. Editora Record.  O judaísmo e as origens do cristianismo III. David Flusser. Editora Imago.  Quem matou Jesus. John Dominic Crossan. Editora Imago.  A Dinastia de Jesus. James D. Tabor. Editora Ediouro.  A ultima semana. Markus Brog e John Dominic Crossan. Editora …  Como ler os evangelhos. Felix Morach. Editora Paulus.  O quinto evangelho de Tomé. Huberto Rohden. Editora Martin Claret.  O evangelho de Judas. Bart D. Ehrman.  Cristo é a questão. Wayne Meeks. Editora Paulus.  Jesus: uma pequena biografia. Martin Forward. Editora Cultrix.  Os partidos religiosos hebraicos da época neotestamentária. Kurt Shubert. Editora Paulus.  Os manuscritos de qumran e o novo testamento. Gervásio F. Orrú.  A comunidade de qumran e a igreja do novo testamento. Karl Hrmann Schelkle. Edições Paulinas.  101 perguntas sobre os manuscritos do mar morto. Joseph A. Fitzmeyer, SJ. Edições Loyola.  A odisséia dos essênios. Hugh Schonfield. Editora Mercuryo.  Anjos e Messias, messianismos judaicos e a origem da cristologia. Luigi Schiavo. Edições Paulinas.  História dos Hebreus. Flavio Josefo. Editora CPAD.  Guerras Judaicas. Flavio Josefo. Editora Juruá.  História Eclesiástica. Eusébio de Cesáreia. Editora CPAD.  A Bíblia de Jerusalém. Editora Paulus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *